Mercado abrirá em 4 h 51 min
  • BOVESPA

    121.801,21
    -1.775,35 (-1,44%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.195,43
    -438,48 (-0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,14
    -0,01 (-0,01%)
     
  • OURO

    1.816,40
    +1,90 (+0,10%)
     
  • BTC-USD

    38.798,20
    +949,50 (+2,51%)
     
  • CMC Crypto 200

    960,37
    +33,61 (+3,63%)
     
  • S&P500

    4.402,66
    -20,49 (-0,46%)
     
  • DOW JONES

    34.792,67
    -323,73 (-0,92%)
     
  • FTSE

    7.118,27
    -5,59 (-0,08%)
     
  • HANG SENG

    26.212,72
    -213,83 (-0,81%)
     
  • NIKKEI

    27.728,12
    +144,04 (+0,52%)
     
  • NASDAQ

    15.094,00
    +20,50 (+0,14%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1463
    +0,0280 (+0,46%)
     

Presidente da China diz que quer trabalhar em acordo comercial inicial com os EUA

Por Yawen Chen e Ryan Woo

PEQUIM (Reuters) - A China quer desenvolver um pacto comercial inicial com os Estados Unidos e vem tentando evitar uma guerra comercial, afirmou o presidente Xi Jinping nesta sexta-feira, mas não tem medo de retaliar quando necessário.

Economistas alertam que uma disputa prolongada entre as duas maiores economias do mundo está elevando os riscos para a economia global ao prejudicar as cadeias de oferta, reduzir o investimento e conter a confiança empresarial.

"Queremos trabalhar pela 'fase um' do acordo com base em respeito mútuo e igualdade", disse Xi a representantes de um fórum internacional.

"Quando necessário vamos responder, mas temos trabalhado ativamente para tentar não ter uma guerra comercial. Não iniciamos essa guerra comercial e isso não é algo que queremos."

Os mercados financeiros globais recuaram esta semana com novos temores de que as discussões comerciais poderiam falhar, com o presidente dos EUA, Donald Trump, em vias de assinar dois projetos de lei que defendem manifestantes em Hong Kong.

A finalização da fase um do acordo comercial pode ficar para o próximo ano, disseram à Reuters especialistas comerciais e pessoas próximas à Casa Branca, com Pequim pedindo mais recuos nas tarifas e com Washington respondendo com outras demandas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos