Mercado fechará em 5 h 3 min
  • BOVESPA

    110.236,17
    -1.303,62 (-1,17%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.853,27
    +171,08 (+0,37%)
     
  • PETROLEO CRU

    60,80
    +1,05 (+1,76%)
     
  • OURO

    1.710,70
    -22,90 (-1,32%)
     
  • BTC-USD

    50.909,40
    +1.960,62 (+4,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.017,34
    +29,24 (+2,96%)
     
  • S&P500

    3.858,73
    -11,56 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    31.446,95
    +55,43 (+0,18%)
     
  • FTSE

    6.636,29
    +22,54 (+0,34%)
     
  • HANG SENG

    29.880,42
    +784,56 (+2,70%)
     
  • NIKKEI

    29.559,10
    +150,93 (+0,51%)
     
  • NASDAQ

    12.929,00
    -126,25 (-0,97%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,9217
    +0,0596 (+0,87%)
     

Presidente da China defende papel maior do G20 na governança econômica global

·1 minuto de leitura
Presidente chinês, Xi Jinping, no Fórum Econômico Mundial de Davos em 2017

(Reuters) - O presidente da China, Xi Jinping, pediu nesta segunda-feira que o mundo fortaleça a coordenação de políticas macroeconômicas e aumento o papel do G20 na governança econômica global, ao apontar uma recuperação "bastante instável" da pandemia de coronavírus.

Falando em uma reunião virtual do Fórum Econômico Mundial --encontro geralmente realizado na estância de esqui suíça de Davod--, Xi disse que o panorama econômico global continua incerto e que as emergências de saúde pública "podem muito bem se repetir" no futuro.

Xi, em sua primeira participação no fórum desde sua defesa vigorosa do livre comércio e da globalização em um discurso em Davos em 2017, adotou um tom semelhante desta vez, defendendo o multilateralismo como saída para os desafios atuais em um discurso de cerca de 25 minutos.

"Deveríamos construir uma economia mundial aberta... descartar padrões, regras e sistemas discriminatórios e excludentes e remover barreiras ao comércio, investimento e interações tecnológicas", disse.

O G20 deveria ser reforçado para ser o "principal fórum de governança econômica global", e o mundo deveria "se engajar em uma coordenação de políticas macroeconômicas mais estreita", acrescentou Xi.

A comunidade internacional deveria ser governada de acordo com regras e consenso acertados por todos os países, ao invés de um ou vários emitirem ordens, disse ele, sem identificá-lo.

(Por Meg Shen e Tom Daly)