Mercado fechará em 2 h 44 min
  • BOVESPA

    111.382,19
    -2.412,09 (-2,12%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.596,14
    -596,19 (-1,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,88
    -0,73 (-1,01%)
     
  • OURO

    1.752,70
    -4,00 (-0,23%)
     
  • BTC-USD

    47.585,07
    -420,72 (-0,88%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.207,09
    -18,44 (-1,51%)
     
  • S&P500

    4.438,19
    -35,56 (-0,79%)
     
  • DOW JONES

    34.582,41
    -168,91 (-0,49%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.530,00
    +12,25 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2015
    +0,0167 (+0,27%)
     

Presidente da Bielorrússia pede para população minerar criptomoedas

·4 minuto de leitura
Alexander Lukashenko
Alexander Lukashenko

O presidente da Bielorrússia, Alexander Lukashenko, pediu que a população do país comece a minerar criptomoedas em vez de “plantar morangos” em fazendas.

Falando na inauguração da unidade de mineração e processamento de Petrikovsky no dia 27 de agosto, Lukashenko defendeu o uso mais eficiente da energia.

A cidade de Pietrykaw, disse Lukashenko em seu discurso, tem vários locais industriais abandonados que poderiam ser usados ​​para a construção de estufas – ou fazendas de mineração de criptomoedas.

De acordo com o site russo RBC, Lukashenko abordou o número crescente de pessoas que se mudam para o exterior em busca de empregos sazonais, dizendo que ninguém está esperando pelos bielorrussos de braços abertos.

“Eles não estão esperando por nós em lugar nenhum […] Temos muitos lugares aqui em Pietrykaw para criar algo baseado em eletricidade. Comece a minerar criptomoedas ou o que quer que seja chamado”

Mineração de criptomoedas

Se um país estivesse disposto a aceitar o enorme fluxo de imigrantes, seria apenas para empregos agrícolas de baixa remuneração em outros países do Leste Europeu, como a Polônia.

Ele disse que há muitas oportunidades financeiras para as pessoas em Petrikovsky, já que a região é rica e tem energia barata.

“Comece a minerar criptomoedas, ou como quer que sejam chamadas”, disse ele na semana passada. “Há eletricidade suficiente no país.”

Embora os comentários de Lukashenko possam ser uma surpresa, dadas as recentes dores de cabeça regulatórias que os mineradores enfrentaram, as criptomoedas foram totalmente legalizadas no país há quase quatro anos.

O país adotou o Decreto de Economia Digital em dezembro de 2017, isentando a criptoindústria de impostos e permitindo que seus cidadãos possuam e negociem livremente em todos os tipos de ativos digitais.

As atividades relacionadas a Bitcoin e criptomoedas foram legalizadas em 2018; existe atualmente uma corretora registrada no país. Em março deste ano, entretanto, Lukashenko teria dito em uma reunião com funcionários do governo que o banco central bielorrusso e o Comitê de Controle Nacional deveriam “esclarecer algumas normas regulatórias e estabelecer o controle necessário” sobre o setor.

Na reunião, Lukashenko também anunciou planos para o estabelecimento de um órgão regulador do governo para supervisionar o uso de criptomoedas no país. Para a estrutura de tal entidade, ele propôs olhar para a China e sua abordagem para uma infraestrutura social amplamente digitalizada.

Bielorrússia é pioneira na adoção de criptomoedas na Europa

Esta não é a primeira vez que o presidente cobra por expansão da mineração de criptomoedas. No início deste ano, o Ministério da Energia do país anunciou que estava explorando ativamente o início de um projeto estatal de mineração de criptomoedas.

Em abril de 2019, o próprio Lukashenko propôs usar o excesso de energia da primeira usina nuclear do país para minerar criptomoedas.

No mesmo ano, o maior banco do país disse que estava considerando a criação de uma corretora de criptomoedas como parte de seu esforço de digitalização.

O movimento pró-criptomoedas na Bielorrússia é resultado de uma situação política complexa que tem atormentado o país na última década.

Lukashenko, que se tornou presidente em 1994 e foi reeleito seis vezes desde então, enfrentou fortes críticas e sanções do Ocidente devido à sua política monetária pobre, falta de liberdade democrática no país e crescente dívida externa.

Diante de uma crise econômica e da redução das liberdades, os bielorrussos têm migrado em massa para a Europa Ocidental, pressionando o governo a adotar uma atitude pró-criptomoedas que eles acreditam que manterá as pessoas no país.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Qualquer um pode minerar criptomoedas?

O país da ex-União Soviética depende fortemente dos subsídios da Rússia à energia e dos preços com desconto do petróleo e do gás. O que, ao considerar as sanções internacionais contra a Rússia, representa algo para os potenciais mineradores pensarem.

Apesar disso, Lukashenko parece ter ignorado os custos iniciais necessários para minerar criptomoedas. Minerar Bitcoin não é tão fácil ao ponto de ser necessário apenas ligar qualquer computador e pronto.

Os dados sobre os salários da Bielorrússia mostram que o salário mínimo é de cerca de 400 BYN / mês (R$ 837 / mês). Sendo assim, os cidadãos teriam dificuldade em adquirir um computador adequado para minerar criptomoedas.

Levando isso em consideração, parece que o grande plano do presidente de manter os trabalhadores no país é um tanto mal concebido.

Fonte: Livecoins

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos