Mercado abrirá em 9 h 5 min
  • BOVESPA

    122.937,87
    +1.057,05 (+0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.371,98
    +152,72 (+0,31%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,47
    +0,20 (+0,30%)
     
  • OURO

    1.868,50
    +0,90 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    44.802,30
    +1.397,11 (+3,22%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.238,74
    +40,82 (+3,41%)
     
  • S&P500

    4.163,29
    -10,56 (-0,25%)
     
  • DOW JONES

    34.327,79
    -54,34 (-0,16%)
     
  • FTSE

    7.032,85
    -10,76 (-0,15%)
     
  • HANG SENG

    28.562,43
    +368,34 (+1,31%)
     
  • NIKKEI

    28.459,53
    +634,70 (+2,28%)
     
  • NASDAQ

    13.354,50
    +51,00 (+0,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4173
    +0,0074 (+0,12%)
     

Presidente do Barcelona defende Superliga, mas pede diálogo

·2 minuto de leitura
Jogadores do Barcelona celebram classificação às semifinais da Copa do Rei

O presidente do Barcelona, Joan Laporta, voltou a afirmar nesta quinta-feira numa curta entrevista sobre a "necessidade" de criar uma Superliga Europeia, embora estivesse aberto a um "diálogo com a Uefa".

"Temos uma posição de prudência, (mas) entendemos que é uma necessidade", declarou Laporta à emissora de televisão TV3 durante uma visita ao torneio de tênis de Barcelona (nordeste da Espanha).

"Estamos sempre abertos ao diálogo com a Uefa (...) penso que haverá harmonia institucional", insistiu o presidente, eleito diretamente pelos sócios-torcedores da equipe espanhola no início de março.

Esta é a primeira declaração pública do dirigente do Barça desde o anúncio na noite da criação da Superliga Europeia, um torneio independente proposto por doze grandes clubes europeus.

No entanto, em apenas dois dias a iniciativa fracassou com a desistência da maioria dos membros fundadores e devido a uma forte rejeição de entidades esportivas, torcedores, imprensa e governos.

“Surgiu uma série de pressões que fez com que alguns clubes se retirassem ou passassem a ter um outro olhar. Mas o fato dessa proposta ter sido feita continua existindo”, argumentou o dirigente de 58 anos.

“São necessários mais recursos porque fazemos investimentos muito consideráveis, pagamos salários muito altos ... E se queremos que o futebol seja um espetáculo pelo mérito esportivo, para manter esse nível de qualidade, é preciso levar isso em consideração, e é isto que estamos apresentando", continuou.

Em qualquer caso, Laporta indicou que a adesão do clube catalão a uma eventual Superliga deve ser ratificada pelos membros do clube.

O presidente do Real Madrid e primeiro presidente da Superliga, Florentino Pérez, declarou na véspera que o projeto estava "pausado".

Das doze equipes fundadoras, os seis times ingleses abandonaram o projeto na noite de terça-feira, seguidos na quarta pelo Atlético de Madri e Inter de Milão.

pve-dbh/gh/lca