Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,69 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,56 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.694,70
    +720,12 (+1,72%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,18 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

Presidente do Atlético-GO dispara contra treinadores brasileiros: 'Muito técnico de cachorro'

·2 minuto de leitura


O Presidente do Atlético-GO, Adson Batista, se envolveu novamente em uma polêmica ao falar sobre o nível dos treinadores brasileiros. Segundo ele, os estrangeiros são melhores, já que no Brasil os comandantes ainda necessitam de qualificação.

+ Flamengo acumula quase 50% da premiação prevista e mira nova bolada na Copa do Brasil



- Eu vejo que o futebol brasileiro ainda precisa evoluir muito, em todos os sentidos. Algumas coisas dentro do campo têm que evoluir muito, taticamente falando. Eu vejo alguns treinadores, e olha que já trabalhei com muitos... Tem muito técnico que é treinador de cachorro, fica ali na beira do campo batendo palma e gritando 'pega, pega, pega', mas não sabe nem do que está falando em termos de tática. Eu recebo informações de que alguns treinadores estrangeiros que vieram para o Brasil são muito estudiosos e estão um passo à frente dos brasileiros. Então, nós precisamos realmente qualificar melhor para ver uma evolução - salientou em entrevista ao site da ESPN.


Segundo o mandatário do clube de Goiás, alguns técnicos dependem de seus auxiliares e se bancam somente com o nome.

- Muitos treinadores dependem muito de seus auxiliares e trabalham só com nome também. Então, eu acho que precisa de uma qualificação profunda dos treinadores brasileiros. Eles estão ficando para trás. Isso é uma opinião minha - concluiu.

Apesar da crítica direcionada, Batista reforçou que respeita os treinadores brasileiros.

- Respeito todos os treinadores brasileiros, respeito a história de cada um, mas ter sido jogador de futebol não é garantia de que será um grande treinador. Tem que ter feeling, tem que ter dom e tem que estudar muito. Não adianta o cara falar: 'Ah, eu fui lá no Manchester City, no Chelsea, e fiz um estágio lá'. Isso não adianta nada! O cara tem que fazer um curso bem feito, um negócio bem organizado, profundo, para que realmente se qualifique. E não é um negócio só para ganhar dinheiro, e para falar que tem um certificado, porque não adianta nada se não tiver conceito e conteúdo nenhum - finalizou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos