Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.038,11
    +2.117,50 (+1,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.249,02
    +314,11 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,82
    +0,11 (+0,17%)
     
  • OURO

    1.832,00
    +16,30 (+0,90%)
     
  • BTC-USD

    57.566,97
    -667,36 (-1,15%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.480,07
    +44,28 (+3,08%)
     
  • S&P500

    4.232,60
    +30,98 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    34.777,76
    +229,23 (+0,66%)
     
  • FTSE

    7.129,71
    +53,54 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,81 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,45 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.715,50
    +117,75 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3651
    -0,0015 (-0,02%)
     

Preocupada com câmeras da Tesla, China revisa regras de dados

Bloomberg News
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- A China estuda novas regras que exigiriam que dados coletados por carros inteligentes sejam armazenados no país, medida que reflete a recente preocupação de que câmeras em veículos da Tesla possam ser usadas para espionagem, segundo pessoas a par do assunto.

O projeto de regulamentação foi publicado em um portal do governo na quinta-feira e está aberto para comentários públicos até 15 de maio. Propõe que todas as informações coletadas por meio das câmeras externas de um carro, como dados de localização ou imagens de edifícios ou estradas, sejam armazenadas na China.

Os carros elétricos de Tesla foram proibidos em complexos militares chineses e conjuntos habitacionais em março em meio ao receio sobre a coleta de dados confidenciais por câmeras e sensores embutidos nos veículos. A nova regulamentação proposta foi motivada por essas preocupações, disseram as pessoas, que não quiseram ser identificadas.

Um representante da Tesla na China não quis comentar. O Ministério da Indústria e Tecnologia da Informação da China encaminhou os pedidos de comentário à Administração do Ciberespaço da China, que não respondeu de imediato a uma solicitação enviada por fax.

Pouco depois que a proibição militar se tornou pública, o CEO da Tesla, Elon Musk, usou uma participação virtual em uma conferência chinesa para enfatizar que a montadora nunca usaria a tecnologia de um veículo para espionagem e que seria fechada se o fizesse.

Depois disso, a empresa informou neste mês que as câmeras dos carros não estão ativadas fora da América do Norte, e que quaisquer dados coletados na China são armazenados no país.

“A Tesla China é uma empresa sediada aqui e deve cumprir todas as leis e regulamentos chineses”, disse Grace Tao, responsável por comunicações e assuntos governamentais da montadora na China, à margem de uma reunião do estado em 13 de abril. “Na verdade, nossos dados estarão muito bem protegidos. Os dados chineses serão armazenados na China.”

A China se tornou um dos mercados mais importantes para Tesla, que tem sede em Palo Alto, Califórnia. O mercado chinês, onde foi construída a primeira Gigafactory fora dos Estados Unidos, representa um fluxo de receita cada vez mais importante. Depois de receber apoio significativo do governo ao se estabelecer na China, a Tesla começou a enfrentar mais escrutínio por parte dos reguladores.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.