Mercado fechado
  • BOVESPA

    126.075,31
    +1.463,28 (+1,17%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.341,45
    +430,92 (+0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,21
    +0,56 (+0,78%)
     
  • OURO

    1.808,50
    +8,70 (+0,48%)
     
  • BTC-USD

    40.051,09
    +2.002,37 (+5,26%)
     
  • CMC Crypto 200

    935,85
    +5,92 (+0,64%)
     
  • S&P500

    4.400,64
    -0,82 (-0,02%)
     
  • DOW JONES

    34.930,93
    -127,59 (-0,36%)
     
  • FTSE

    7.016,63
    +20,55 (+0,29%)
     
  • HANG SENG

    25.473,88
    +387,45 (+1,54%)
     
  • NIKKEI

    27.581,66
    -388,56 (-1,39%)
     
  • NASDAQ

    15.006,25
    +58,50 (+0,39%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0529
    -0,0555 (-0,91%)
     

Premiê sueco é afastado por moção de desconfiança do Parlamento

·1 minuto de leitura
Premiê da Suécia, Stefan Lofven, durante entrevista coletiva em Estocolmo

Por Johan Ahlander e Simon Johnson

ESTOCOLMO (Reuters) - O Parlamento da Suécia afastou o primeiro-ministro, Stefan Lofven, com uma moção de desconfiança nesta segunda-feira, dando ao líder Social Democrata uma semana para renunciar e encarregar o presidente da casa de montar um novo governo ou convocar uma eleição antecipada.

Os Democratas Suecos nacionalistas aproveitaram a chance de pedir a votação depois que o ex-comunista Partido da Esquerda retirou seu apoio ao governo de centro-esquerda devido a um plano para amenizar os controles de aluguel de apartamentos recém-construídos.

O líder dos Democratas Suecos, Jimmie Akesson, disse ao Parlamento que o governo é danoso e historicamente fraco, acrescentando: "Ele jamais deveria ter assumido o poder".

A moção de desconfiança, que exige 175 votos do Parlamento de 349 cadeiras para passar, foi apoiada por 181 parlamentares.

Lofven, de 63 anos, é o primeiro premiê sueco afastado por uma moção de desconfiança apresentada pela oposição.

Sua coalizão minoritária frágil com o Partido Verde depende do apoio parlamentar de duas siglas pequenas de centro-direita e do Partido da Esquerda desde uma eleição apertada no país-membro da União Europeia em 2018.

O Partido da Esquerda viu em Lofven o estopim da crise.

"Não é o Partido da Esquerda que desistiu do governo Social Democrata, é o governo Social Democrata que desistiu do Partido da Esquerda e do povo sueco", disse sua líder, Nooshi Dadgostar.

Como o Parlamento está em um impasse, não está claro a quem seu presidente pode se voltar para formar um novo governo caso Lofven renuncie. Pesquisas de opinião indicam que os blocos de centro-esquerda e centro-direita estão equilibrados, por isso pode ser que uma eleição antecipada tampouco traga clareza.

(Por Niklas Pollard, Johan Ahlander, Simon Johnson)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos