Prefixados têm participação recorde na dívida pública

O Tesouro Nacional destaca que a participação de títulos prefixados e remunerados pelos índices de preços alcançou recorde histórico ao passar de 65,5% do estoque da Dívida Pública Federal (DPF) em 2011 para 73,9% em 2012. O relatório anual da dívida, divulgado nesta terça-feira, também ressalta que a parcela da DPF a vencer em 12 meses teve um aumento já esperado em dezembro devido ao grande volume de vencimentos previstos para 2013. O indicador fechou 2012 em 24,4% do estoque, ante 21,9% em dezembro de 2011.

O documento ainda destaca que os resultados alcançados no ano passado mostram que houve uma maior aderência entre o custo de captação e as decisões de política monetária. Também afirma que o Tesouro conseguiu as menores taxas médias históricas de emissão dos títulos prefixados e remunerados pelo Índice de Preços ao consumidor Amplo (IPCA). O relatório ainda afirma que a demanda em 2012 foi por títulos mais longos. Apenas 6,7% das novas emissões de prefixados no ano passado tiveram vencimentos inferiores a 12 meses. As emissões com prazo superior a três anos alcançou 51,7% do total das novas emissões destes títulos. O Tesouro Nacional não dará entrevista para explicar o documento publicado no site do órgão.

As únicas metas não alcançadas pelo Tesouro Nacional na administração da DPF em 2012 foram as que se referem ao prazo médio e à participação dos títulos remunerados pela taxa Selic. O Plano Anual de Financiamento (PAF) previa um intervalo entre 3,6 anos e 3,8 anos para o prazo médio, que fechou dezembro em 3,97 anos. No entanto, o Tesouro destacou que a DPF manteve sua tendência de alongamento em 2012.

Em relação à participação dos títulos remunerados pela taxa Selic na DPF, que ficou em 21,7% do estoque, abaixo da banda mínima fixada pelo PAF, o Tesouro afirmou que este movimento se deve à redução dos juros pelo Banco Central e às operações de troca destes papéis com os fundos extramercado e com o FGTS. Por isso, a parcela de títulos pagos de acordo com a variação da taxa básica de juros caiu 8,4 pontos porcentuais em relação a dezembro de 2011.

Os dados do Tesouro mostraram ainda que o custo médio da DPF em 12 meses fechou o ano passado em 11,55% ao ano, ante 11,88% ao ano em novembro de 2012. O porcentual da dívida a vencer nos próximos 12 meses fechou 2012 em 24,38% do estoque, abaixo dos 24,48% de novembro.

Carregando...