Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.221,19 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,64 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,66
    -1,87 (-2,94%)
     
  • OURO

    1.733,00
    -42,40 (-2,39%)
     
  • BTC-USD

    44.855,79
    -2.452,93 (-5,18%)
     
  • CMC Crypto 200

    912,88
    -20,25 (-2,17%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,64 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    28.980,21
    -1.093,96 (-3,64%)
     
  • NIKKEI

    28.966,01
    -1.202,26 (-3,99%)
     
  • NASDAQ

    12.905,75
    +74,00 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7583
    +0,0194 (+0,29%)
     

Prefeitura do Rio vai lançar nova licitação para Linha Amarela

Rodrigo Viga Gaier
·2 minuto de leitura

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A prefeitura do Rio de Janeiro decidiu encampar a via expressa Linha Amarela, uma das principais da cidade, enquanto trabalha em preparativos para lançar uma nova concessão neste semestre, afirmaram representantes do governo carioca nesta segunda-feira.

A decisão de encampação foi tomada após negociações frustradas entre a prefeitura e a concessionária Lamsa, do grupo Invepar.

A disputa entre o município e a concessionária começou na gestão do ex-prefeito Marcelo Crivella, que apontava para irregularidades e fraudes no processo de concessão. Desde o ano passado, o pedágio de 7,50 reais dentro da cidade do Rio foi suspenso por ordem da Justiça, que no final de janeiro deu prazo até o dia 27 deste mês para a prefeitura encampar a via de forma plena e definitiva.

A Lamsa informou que segue em busca de negociação com a prefeitura "visando o respeito ao contrato de concessão e a preservação da segurança jurídica". A concessionária entende que a encampação é prerrogativa da prefeitura porém, "é preciso seguir uma série de requisitos como a instauração de procedimento administrativo específico, notificação com pelo menos 90 dias, cálculo de indenização, entre outras etapas.

"Nada disso foi feito até o momento", disse a concessionária em comunicado. "A concessionária buscará a preservação de seus direitos", finalizou.

Porém, a transição da administração já começou, segundo a prefeitura.

"Começamos a transição para a operação da via. Um dos passos dessa transição é o inventário desse patrimônio, ou seja, tudo o que vai ser transferido para a prefeitura", disse o secretário de Governo e Integridade Pública, Marcelo Calero.

"O nosso objetivo é que esta transferência aconteça da maneira mais harmoniosa possível, garantindo a operação da Linha Amarela, e, principalmente a segurança dos usuários", acrescentou.

Segundo o secretário, a prefeitura já assumiu serviços de resgate, reboque, sinalização e segurança da via até que a nova licitação seja feita.

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, chegou a falar que o valor justo da tarifa do pedágio da Via Amarela seria em torno de 3 reais. "O prefeito deixou muito claro que ele quer seja cobrado um preço justo pelo pedágio da Linha Amarela. Portanto haverá o encaminhamento de uma nova licitação. Mas, até a conclusão da licitação, a operação da via fica a cargo da prefeitura", disse Calero.