Mercado abrirá em 5 h 52 min
  • BOVESPA

    119.646,40
    -989,99 (-0,82%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.125,71
    -369,70 (-0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    53,28
    +0,04 (+0,08%)
     
  • OURO

    1.873,60
    +7,10 (+0,38%)
     
  • BTC-USD

    34.612,74
    -49,88 (-0,14%)
     
  • CMC Crypto 200

    685,19
    -15,42 (-2,20%)
     
  • S&P500

    3.851,85
    +52,94 (+1,39%)
     
  • DOW JONES

    31.188,38
    +257,86 (+0,83%)
     
  • FTSE

    6.740,39
    +27,44 (+0,41%)
     
  • HANG SENG

    29.979,43
    +337,15 (+1,14%)
     
  • NIKKEI

    28.722,75
    +89,29 (+0,31%)
     
  • NASDAQ

    13.378,00
    +83,75 (+0,63%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4177
    -0,0809 (-1,24%)
     

Prefeitura do Rio vai lançar app para notificação e informações sobre a COVID-19

Natalie Rosa
·2 minuto de leitura

A prefeitura do Rio de Janeiro apresentou uma nova estratégia para combater a COVID-19, usando a tecnologia como aliada. Entre medidas de vacinação, abertura de novos leitos de internação, ampliação no diagnóstico da doença e a abertura do Centro de Operações de Emergências em Saúde (COE) COVID-19 RIO, a cidade irá lançar um aplicativo para que a própria população faça autonotificação de casos.

Eduardo Paes, prefeito da cidade, diz que o objetivo do projeto é criar uma integração nas ações de combate à doença entre o governo e a prefeitura. Com o aplicativo, que deve ser lançado nas próximas semanas, a pessoa irá informar seus dados de localização para começar a explorar os recursos. Inserindo o bairro, o usuário começa a visualizar mapas de risco da doença, e com o endereço completo será possível verificar médicos e agentes de saúde próximos para descobrir onde poderá ser atendido.

<em>Imagem: Italo Boquimpani/Prefeitura do Rio</em>
Imagem: Italo Boquimpani/Prefeitura do Rio

Com os dados dos usuários inseridos no app, são geradas informações de risco de cada paciente, algo crucial para que a prefeitura consiga fazer o acompanhamento dos casos, seja na forma mais leve ou mais grave da doença. O usuário pode ainda indicar os sintomas que vem experienciando nos últimos 14 dias e contar se as pessoas com quem convive estão passando pela mesma situação.

José Carlos Prado Júnior, subsecretário geral da Secretaria de Saúde do Rio de Janeiro e responsável pelo projeto, conta que as informações enviadas pelos usuários são direcionadas a um banco de dados da prefeitura. "O médico ou o enfermeiro deve ligar para acompanhar a evolução do paciente. Aqueles com maior risco de saúde terão um acompanhamento mais frequente para que a gente possa direcioná-lo para um atendimento de urgência, se necessário. Mas o aplicativo também funcionará para oferecermos as melhores informações sobre a doença e como tratá-la", explica.

Ainda não foi divulgada a data de lançamento do aplicativo.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: