Prefeitura do Rio cria programa para beneficiar nômades digitais

·1 minuto de leitura
Young attractive woman in dress, sunglasses and hat, working in laptop on the beach
Além dos nômades digitais, a prefeitura do Rio de Janeiro quer incentivar os benefícios a quem trabalha remotamente (Getty Creative)
  • Prefeitura do Rio de Janeiro incentiva hotéis, hostels e espaços de coworking a beneficiar nômades digitais e quem trabalha remotamente

  • Foi criado o Selo Rio Digital, distribuído entre empresas parceiras

  • Prefeitura quer regulamentar vinda de nômades digitais de outros países

A prefeitura do Rio de Janeiro lançou na última quinta-feira (1º) um projeto em parceria com a Riotur para incentivar a estadia de nômades digitais na cidade. Quem trabalha remotamente também é alvo do programa, já que o número de pessoas em home office disparou com a pandemia da covid-19. As informações são da Exame.

Leia também:

Selo Rio Digital

Desta forma, para chamar os nômades digitais e aqueles que trabalham remotamente, a ideia da prefeitura foi criar o selo de hospedagem Rio Digital Nomads, que são distribuídos a estabelecimentos que oferecem preços mais em conta para quem fechar um pacote com maior tempo de hospedagem. Eles também poderão ser estendidos a espaços de coworking.

Hoje, 56 hotéis, 18 espaços de coworking e 14 hostels já fazem parte do programa. Para saber quais são, é só acessar o link do projeto.

Vinda de estrangeiros 

Outra medida tomada foi a solicitação da regulamentação para poder receber nômades digitais de outros lugares do mundo, feita ao Conselho Nacional de Imigração. “A relação das pessoas com o trabalho mudou em todo o planeta, permitindo que muitos decidam em qual cidade viver, independentemente de onde funciona a sua empresa. Esses tempos modernos permitem a experiência de se viver onde se deseja”, afirma a prefeitura.