Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.964,01
    +1.054,98 (+0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.655,29
    -211,86 (-0,42%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,42
    +0,14 (+0,21%)
     
  • OURO

    1.837,00
    +0,90 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    56.591,57
    +1.026,93 (+1,85%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.513,93
    +1.271,26 (+523,84%)
     
  • S&P500

    4.152,10
    -36,33 (-0,87%)
     
  • DOW JONES

    34.269,16
    -473,66 (-1,36%)
     
  • FTSE

    6.947,99
    -175,69 (-2,47%)
     
  • HANG SENG

    28.013,81
    -581,89 (-2,03%)
     
  • NIKKEI

    28.608,59
    -909,71 (-3,08%)
     
  • NASDAQ

    13.329,75
    -16,25 (-0,12%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3428
    +0,0026 (+0,04%)
     

Prefeito de Tamandaré, marido de Sarí Corte Real, do caso Miguel, não se reelege

Redação Notícias
·1 minuto de leitura
Sarí Corte Real e o marido Sérgio Hacker, prefeito de Tamandaré (Foto: Reprodução/ Instagram)
Sarí Corte Real e o marido Sérgio Hacker, prefeito de Tamandaré (Foto: Reprodução/ Instagram)

Sérgio Hacker (PSB) não conseguiu se reeleger prefeito de Tamandaré (PE). Ele é marido de Sarí Corte Real, indiciada por abandono de incapaz com resultado morte no caso Miguel. O menino, de cinco anos, filho da empregada deles, morreu após cair do nono andar do edifício de luxo onde o casal mantém residência, no Centro de Recife.

Carrapicho (Republicanos) venceu a eleição, com 7.476 votos, o que corresponde a 54,52%, seguido do prefeito, com 5.912 votos (43,12%).

Leia também

O caso Miguel ganhou repercussão e veio à tona uma irregularidade na prefeitura de Tamandaré, envolvendo o prefeito Sérgio Hacker. Mirtes Souza, mãe de Miguel, e a mãe dela, Marta Santana, trabalhavam como domésticas para a família do prefeito, mas estavam na folha de pagamento da prefeitura.

Depois da morte de Miguel, a mãe e a avó contaram não ter recebido mais salário.

Em julho, o Tribunal de Justiça de Pernambuco determinou o bloqueio parcial dos bens do prefeito e da secretária de Educação, Maria da Conceição Cavalcanti.

O Ministério Público de Pernambuco entrou com uma ação para que o prefeito responda por improbidade administrativa.