Mercado abrirá em 2 h 23 min
  • BOVESPA

    119.297,13
    +485,13 (+0,41%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.503,71
    +151,51 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,16
    +0,98 (+1,63%)
     
  • OURO

    1.742,90
    -4,70 (-0,27%)
     
  • BTC-USD

    64.067,54
    +1.558,78 (+2,49%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.380,60
    +86,61 (+6,69%)
     
  • S&P500

    4.141,59
    +13,60 (+0,33%)
     
  • DOW JONES

    33.677,27
    -68,13 (-0,20%)
     
  • FTSE

    6.902,31
    +11,82 (+0,17%)
     
  • HANG SENG

    28.900,83
    +403,58 (+1,42%)
     
  • NIKKEI

    29.620,99
    -130,61 (-0,44%)
     
  • NASDAQ

    13.995,75
    +20,00 (+0,14%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,8359
    +0,0047 (+0,07%)
     

Preços de computadores aumentaram 23,5% no Brasil em 2020

Redação Finanças
·1 minuto de leitura
Mulher usando o computador e o celular
Getty Images

O valor pago em computadores, sejam notebooks ou desktops, disparou 23,5% no último trimestre de 2020 no Brasil, na comparação com o trimestre anterior. De acordo com levantamento da IDC Brasil, os preços cobrados, em média, foram de R$ 3.782 para desktops, e R$ 4.299 para notebooks.

Entre os motivos apontados para esta alta estão as dificuldades logísticas causadas pela pandemia, onde diversos setores enfrentaram desabastecimento de matéria prima, e também a desvalorização do real em relação ao dólar.

Apesar disso, com o modelo home office ganhando mais popularidade com a pandemia, a alta nos preços não afetaram as vendas, que mostraram um saldo positivo e trouxeram crescimento ao mercado.

De outubro a dezembro, foram vendidas 1,9 milhão de unidades de computadores, sendo 1,6 milhão de notebooks e cerca de 400 mil desktops. O montante de unidades vendidas é 20,6% maior em relação ao registrado para o mesmo período no ano passado.

Em todo o ano, o setor registrou venda de 6,3 milhões de unidades, o que representa um crescimento de 6% com relação a 2019, ou o equivalente a 1,3 milhão de desktops e 5 milhões de notebooks.

Este é o segundo ano consecutivo de crescimento no setor e a previsão para 2021 é de aumento de 8,6%. A alta no mercado corporativo é ainda maior e deve chegar a 17,3% neste ano, impulsionada especialmente por grandes projetos no segmento de educação e governo.