Mercado abrirá em 50 mins

Preço de celulares pode chegar a R$ 10 mil neste ano

Reprodução

As previsões para o mercado de Tecnologia da Informação (TI) no Brasil são boas para movimentar a economia do setor, mas ruins para o bolso do consumidor, que, neste ano, pode se deparar com o valor de R$ 10 mil em smartphones récem-lançados.

De acordo com informações divulgadas pela International Data Corporation (IDC), o comércio de dispositivos tecnológicos terá um crescimento de apenas 0,1%, seguindo a tendência global de queda das vendas de celulares.

No entanto, em termos de valores, contará com um avanço significativo; a estimativa é de que os preços dos smartphones sejam, em média, 18% mais caros. Já o valor médio de tablets e PCS deve crescer 7%.

Hoje em dia, o custo médio de celulares no Brasil é de R$ 1,3 mil, mas alguns modelos mais estimados ultrapassam os R$ 7 mil, como é o caso da Apple, que lidera a lista de telefones mais caros do país. Para este ano, está prevista a chegada de smartphones com preços na casa de R$ 10 mil no País.

Na visão da consultoria, uma possível explicação para isso seria a inclusão de novos recursos, como câmeras melhores, funcionalidades que utilizam inteligência artificial e mais memória, e o amadurecimento do setor no Brasil, o que torna o consumidor mais disposto a gastar mais. Com isso, o preço aumenta, mas o número de unidades vendidas não acompanha.

O avanço no preço dos dispositivos coloca a categoria como a principal impulsionadora do crescimento de 10%, previsto para o mercado de telecomunicação e tecnologia no Brasil em 2019.

Considerando todo o mercado de computadores e dispositivos portáteis, a estimativa da IDC é que o setor represente 38% dos investimentos em TI, com cerca de US$ 24,5 bilhões.