Mercado fechado
  • BOVESPA

    128.767,45
    -497,51 (-0,38%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.129,88
    -185,81 (-0,37%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,08
    +0,02 (+0,03%)
     
  • OURO

    1.780,70
    +3,30 (+0,19%)
     
  • BTC-USD

    33.944,88
    +1.471,57 (+4,53%)
     
  • CMC Crypto 200

    805,03
    +10,70 (+1,35%)
     
  • S&P500

    4.246,44
    +21,65 (+0,51%)
     
  • DOW JONES

    33.945,58
    +68,61 (+0,20%)
     
  • FTSE

    7.090,01
    +27,72 (+0,39%)
     
  • HANG SENG

    28.468,24
    +158,48 (+0,56%)
     
  • NIKKEI

    28.966,32
    +82,19 (+0,28%)
     
  • NASDAQ

    14.282,50
    +24,25 (+0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9152
    -0,0046 (-0,08%)
     

Preço das carnes sobe em maio e acumula alta de 38% em 12 meses

·1 minuto de leitura
Grilled fillet steak with herbs and garlic
Cada brasileiro consome uma média de 26,4 kg de carne por ano
  • Preço das carnes teve alta de 2,24% em maio

  • Alta acumulada nos últimos 12 meses é de 38%

  • Motivos são encarecimento do dólar e aumento das exportações de matéria prima

O preço das carnes subiu 2,24% em maio, segundo dados do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), divulgados nesta quarta-feira (9) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Foi o quarto maior impacto individual sobre o indicador no mês. Com o resultado, a alta acumulada nos últimos 12 meses é de 38%. As informações são do UOL e da Reuters.

Leia também:

A alta acumulada é maior ainda em Rio Branco (59,27%) e na Região Metropolitana de Belo Horizone (43,88%).

Desta forma, com o movimento de alta constante nos preços e com as dificuldades econômicas enfrentadas durante a pandemia da covid-19, o consumo de carne chegou ao menor nível dos últimos 25 anos, como mostram dados da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento). Assim, cada brasileiro consome uma média de 26,4 kg de carne ao ano.

Motivos

Segundo o IBGE, os motivos desse encarecimento são o alto preço do dólar e o aumento das exportações de matéria-prima, o que aumenta o valor do produto dentro do país. 

Segundo a ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal), o milho subiu mais de 100% e a soja 60% em comparação com o mesmo período de 2020. Esses produtos correspondem a 70% do custo de produção, já que são destinados à alimentação dos animais.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos