Mercado abrirá em 4 h 58 min
  • BOVESPA

    106.927,79
    +1.397,79 (+1,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.744,92
    -185,48 (-0,34%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,34
    +0,52 (+0,62%)
     
  • OURO

    1.818,30
    +1,80 (+0,10%)
     
  • BTC-USD

    42.778,36
    -386,15 (-0,89%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.028,33
    +2,60 (+0,25%)
     
  • S&P500

    4.662,85
    +3,82 (+0,08%)
     
  • DOW JONES

    35.911,81
    -201,79 (-0,56%)
     
  • FTSE

    7.542,95
    -20,90 (-0,28%)
     
  • HANG SENG

    24.215,72
    -167,60 (-0,69%)
     
  • NIKKEI

    28.333,52
    +209,24 (+0,74%)
     
  • NASDAQ

    15.550,75
    -45,00 (-0,29%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3089
    -0,0085 (-0,13%)
     

Preço da gasolina vai baixar? Entenda o que muda com o ICMS congelado

·2 min de leitura
Pessoa enchendo o tanque do carro
Atualmente, o preço da gasolina tem se mantido estável

(Getty Images)

  • Em outubro, o Confaz aprovou o congelamento do ICMS sobre combustíveis

  • Objetivo era segurar a crescente alta nos preços

  • No entanto, medida não é suficiente

Em uma tentativa de segurar a crescente alta nos preços da gasolina, álcool e diesel, o Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária) aprovou, no final de outubro, o congelamento do valor do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre os combustíveis. Mas será que a medida, válida por 90 dias, consegue realmente impedir que o brasileiro desembolse valores cada vez mais altos? O Yahoo Finanças te explica.

Leia também:

Primeiro, é necessário entender que a alta do dólar, junto com a desvalorização do real frente à moeda norte-americana, tem um grande impacto nos preços praticados, já que o valor do combustível no Brasil varia de acordo com o mercado internacional.

Isso significa que a Petrobrás faz os repasses às refinarias conforme a valorização do barril de petróleo no exterior. Dessa forma, ainda que o congelamento do ICMS suavize os aumentos nos preços, não barra possíveis reajustes.

Medida é considerada insuficiente por especialistas

De acordo com Rafael Fonteles, presidente do Comsefaz (Comitê Nacional dos Secretários de Fazenda dos Estados e do Distrito Federal), a ausência da cobrança no imposto não resolve todos os problemas dos brasileiros.

"É preciso ficar claro que o ICMS é apenas um componente dos preços, e, como não houve alteração da alíquota nos últimos anos, não há como associar os reajustes dos combustíveis ao imposto estadual", afirmou. "Esses aumentos se devem à política da Petrobras que atrela seus preços ao mercado internacional do petróleo e ao câmbio".

Atualmente, o preço da gasolina tem se mantido estável. Na última sexta-feira (26), a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) informou que a média do litro estava, pela segunda semana consecutiva, em R$ 6,748.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos