Mercado abrirá em 6 h 39 min
  • BOVESPA

    114.428,18
    -219,81 (-0,19%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.686,03
    -112,35 (-0,21%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,63
    +0,19 (+0,23%)
     
  • OURO

    1.774,70
    +9,00 (+0,51%)
     
  • BTC-USD

    62.390,56
    +130,60 (+0,21%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.457,29
    +5,66 (+0,39%)
     
  • S&P500

    4.486,46
    +15,09 (+0,34%)
     
  • DOW JONES

    35.258,61
    -36,15 (-0,10%)
     
  • FTSE

    7.203,83
    -30,20 (-0,42%)
     
  • HANG SENG

    25.710,52
    +300,77 (+1,18%)
     
  • NIKKEI

    29.202,71
    +177,25 (+0,61%)
     
  • NASDAQ

    15.286,00
    -4,50 (-0,03%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4112
    +0,0197 (+0,31%)
     

“Precisamos de alternativas ao Facebook”, diz União Europeia após falha

·1 minuto de leitura
“Precisamos de alternativas ao Facebook”, diz União Europeia após falha
“Precisamos de alternativas ao Facebook”, diz União Europeia após falha

A queda das plataformas do Facebook durante a tarde da última segunda-feira (4) ainda está repercutindo no mundo. Os problemas nas redes duraram cerca de 6 horas e mais de 3,5 bilhões de pessoas ficaram sem acesso ao WhatsApp, Instagram e Facebook.

Para a União Europeia, o fato das três redes plataformas pertencerem a uma mesma empresa e serem as mais acessadas do mundo mostra a necessidade de concorrentes para o Facebook. “Precisamos de alternativas e opções no mercado de tecnologia e não depender apenas de alguns grandes grupos, sejam eles quem for”, disse Margrethe Vestager, comissária de defesa da concorrência da União Europeia.

Monopólio do Facebook

Essa discussão não é nova. Nos Estados Unidos, a empresa enfrenta processos por monopólio. A Comissão Federal de Comércio (FCC) e procuradores estaduais alegam que o conglomerado “usou seu poder de monopólio para esmagar rivais menores e exterminar os competidores, às custas dos usuários comuns”.

A União Europeia também está pautando o tema. Vestager propôs no ano passado um projeto que coloca as big techs, Facebook, Amazon, Apple e Google, como empresas que precisam mudar seus modelos de negócios para permitirem mais competição. O caso ainda deve ser votado.

A falha no Facebook ainda gerou prejuízo para muita gente que ficou sem conseguir se comunicar. O diretor do Procon-SP, Fernando Capez, disse que “falhas internas não eximem a responsabilidade da prestadora de serviço”, e acrescenta que o consumidor que se sentir prejudicado, deverá “aguardar as informações prestadas pelo WhatsApp ao Procon”.

Leia também!

Já assistiu aos nossos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos