Mercado fechará em 36 mins
  • BOVESPA

    124.310,92
    -1.692,94 (-1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.939,14
    +41,35 (+0,08%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,64
    -0,27 (-0,38%)
     
  • OURO

    1.799,70
    +0,50 (+0,03%)
     
  • BTC-USD

    37.932,91
    -2.520,05 (-6,23%)
     
  • CMC Crypto 200

    895,74
    +19,51 (+2,23%)
     
  • S&P500

    4.392,42
    -29,88 (-0,68%)
     
  • DOW JONES

    35.007,24
    -137,07 (-0,39%)
     
  • FTSE

    6.996,08
    -29,35 (-0,42%)
     
  • HANG SENG

    25.086,43
    -1.105,89 (-4,22%)
     
  • NIKKEI

    27.970,22
    +136,93 (+0,49%)
     
  • NASDAQ

    14.912,00
    -205,75 (-1,36%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1244
    +0,0141 (+0,23%)
     

Precisa, empresa investigada na CPI, pede uso emergencial da Covaxin à Anvisa

·2 minuto de leitura
Precisa, empresa investigada na CPI, pede uso emergencial da Covaxin à Anvisa
Precisa, empresa investigada na CPI, pede uso emergencial da Covaxin à Anvisa

A Anvisa recebeu nesta terça-feira (29) um pedido de uso emergencial da vacina Covaxin, produzida pela Índia. A solicitação foi feita pela empresa Precisa Medicamentos, que está sendo investigada na CPI da Covid pelo Ministério Público Federal (MPF). Segundo informações do G1, o prazo para deferir ou não a solicitação não está determinado.

O governo federal realizou a compra de 20 milhões de doses da Covaxin por R$ 1,6 bilhão mesmo sem o imunizante ter sido aprovado pela Anvisa no Brasil. O valor chamou atenção por ser bem mais alto do que o preço cobrado pelas vacinas AstraZeneca e Pfizer, sendo está última recusada várias vezes pelo governo.

Com isso, o MPF identificou indícios de crime colocando a Precisa Medicamentos, responsável por intermediar a compra da vacina entre a Índia e Brasil, na mira da CPI da Covid. Na semana passada, o servidor Luis Ricardo Miranda, chefe de importação do Ministério da Saúde, afirmou em depoimento à CPI que houve uma “pressão atípica” para a compra do imunizante. De acordo o jornal O Globo, um dos sócios da Precisa, Francisco Maximiano, também deve ser ouvido na comissão na quinta-feira.

Precisa, empresa investigada na CPI, pede uso emergencial da Covaxin à Anvisa. Imagem: Nal Nallath/iStock
Precisa, empresa investigada na CPI, pede uso emergencial da Covaxin à Anvisa. Imagem: Nal Nallath/iStock

O MPF também abriu uma investigação para apurar o contrato firmado entre o Ministério da Saúde e a empresa de comercialização de medicamentos.

Leia mais!

Quais países já usam a Covaxin?

Um dos pontos mais polêmicos quando falamos da Covaxin é a falta de interesse do mercado internacional na aquisição das doses, além do Brasil, a vacina foi comprada por apenas outros 12 países. São eles: Índia, México, Irã, Paraguai, Ilhas Maurício, Nicarágua, Mianmar, Zimbábue, Guatemala e Filipinas, Nepal e Botsuana.

Apesar de ter a importação aprovada pela Anvisa no início de junho – o que nada tem a ver com o pedido emergencial atual -, o órgão permitiu que apenas 4 milhões de doses do imunizante sejam aplicadas, mesmo com a compra de 20 milhões do pedido original.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos