Preços no varejo paulistano fecham 2012 com alta de 4,02%, aponta Fecomercio-SP

SÃO PAULO – Os preços no varejo da cidade de São Paulo fecharam o ano de 2012 com alta de 4,02%, o valor ficou ligeiramente abaixo do registrado em 2011 (4,09%).

Segundo o IPV (Índices de Preço no Varejo), divulgado pela Fecomercio-SP (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo) nesta terça-feira (29), os preços médios registraram alta de 0,64% no último mês do ano. Vale ressaltar que esta foi a quinta alta consecutiva do índice e dos 21 grupos avaliados, somente quatro acumularam queda no período analisado.

Alimentos 
Os alimentos foram os maiores vilões dos preços no varejo em 2012, sendo que os Supermercados tiveram acréscimo de 9,4%, as Padarias de 13,7% e as Feiras de 12,1%. Juntos, os três grupos atingem pouco mais de 40% do IPV, tendo em vista sua relevância no orçamento das famílias que têm renda entre um e dez salários mínimos.

O subgrupo dos Cereais, que contempla os preços do arroz, feijão e milho, registrou um acumulado de 35,6%, seguido pelos Tubérculos, com 31,6%. Ambos sofreram redução do volume ofertado por causa de problemas climáticos, no caso do arroz, a queda do volume produzido também refletiu a redução da área plantada.

Nos Açougues, as Aves comercializadas registraram alta de 29,1%, pressionadas pelo maior custo na cadeia produtiva por causa do aumento nos preços das commodities agrícolas. Já nas Feiras, a variação mais relevante foi a das Verduras, com alta de 27,4%, e nas Aves, com 21,3%.

Altas
Outros segmentos que favoreceram a trajetória de alta do indicador foram o de Drogarias e Perfumarias (4,1%), Autopeças e Acessórios (4,1%), Material de Construção (4%), Móveis e Decoração (4%) e Vestuários, Tecidos e Calçados (2,1%).

Quedas
A isenção fiscal do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) gerou queda de 6% no acumulado dos Veículos, sendo que o decréscimo percebido em Automóveis usados foi de 7,4% e de 6,1% em Automóveis Novos.

O segmento de Eletroeletrônicos apresentou variação negativa de 9,3%, sendo que a Telefonia assinalou queda de 12,12%, seguido por Produtos de Imagem e Som (-11,1%) e Informática (-4,1%). O levantamento atribui o comportamento à concorrência com o mercado informal e à obsolescência programada dos produtos. O grupo de Combustíveis e Lubrificantes registrou queda de 1,6%, seguido pelos Eletrodomésticos (-0,7%).

2013
A Fecomercio-SP prevê que os preços devem se manter estáveis em 2013, com uma expectativa de menor pressão nos preços das commodities agrícolas e a ausência de fenômenos climáticos. Por outro lado, o retorno do IPI nos automóveis, produtos da linha branca e móveis e decorações devem causar perturbações nos preços do varejo, principalmente no primeiro semestre do ano.  

Carregando...