Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.376,35
    -737,80 (-0,68%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.038,58
    +230,02 (+0,51%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,42
    +1,71 (+2,23%)
     
  • OURO

    1.635,80
    +2,40 (+0,15%)
     
  • BTC-USD

    19.036,90
    -126,44 (-0,66%)
     
  • CMC Crypto 200

    437,05
    -22,09 (-4,81%)
     
  • S&P500

    3.647,29
    -7,75 (-0,21%)
     
  • DOW JONES

    29.134,99
    -125,82 (-0,43%)
     
  • FTSE

    6.984,59
    -36,36 (-0,52%)
     
  • HANG SENG

    17.860,31
    +5,17 (+0,03%)
     
  • NIKKEI

    26.571,87
    +140,32 (+0,53%)
     
  • NASDAQ

    11.342,00
    +25,75 (+0,23%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1596
    -0,0198 (-0,38%)
     

Preços sobem diante de preocupações com oferta russa em mercado volátil

Miniaturas de barris de petróleo em 3D

Por Laura Sanicola

(Reuters) - Os preços do petróleo fecharam quase 1% mais altos nesta quinta-feira, reduzindo os ganhos anteriores, com o mercado concentrado nas preocupações com o fornecimento de petróleo russo, na recuperação da demanda chinesa e no Banco da Inglaterra, que elevou as taxas de juros abaixo do esperado.

Os contratos futuros do Brent fecharam em alta de 0,63 dólar, ou 0,7%, a 90,46 dólares, depois de subirem mais de 2 dólares no início da sessão.

O petróleo WTI, dos EUA, fechou em alta de 0,55 dólar, ou 0,7%, a 83,49 dólares, depois de subir mais de 3 dólares no início da sessão.

A Rússia avançou com seu maior recrutamento desde a Segunda Guerra Mundial, levantando preocupações de que uma escalada da guerra na Ucrânia possa prejudicar ainda mais a oferta da commodity.

"A retórica belicosa de Putin é o que está sustentando este mercado", disse John Kilduff, sócio da Again Capital LLC em Nova York.

As restrições de oferta da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) adicionaram mais suporte, disseram analistas.

"As exportações de petróleo da Opep se estabilizaram a partir de um forte aumento no início deste mês", disse Giovanni Staunovo, analista de commodities do UBS.

(Reportagem adicional de Rowena Edwards em Londres e Muyu Xu em Cingapura)