Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,63 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,59 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,96
    -0,65 (-0,90%)
     
  • OURO

    1.753,90
    -2,80 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    47.431,46
    -849,70 (-1,76%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,48
    -32,05 (-2,61%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,42 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,96 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,75 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.282,75
    -226,75 (-1,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1994
    +0,0146 (+0,24%)
     

Preços recuam conforme furacão Ida enfraquece; Opep+ entra em foco

·2 minuto de leitura

Por Alex Lawler

LONDRES (Reuters) - Os preços do petróleo recuavam nesta segunda-feira, após registrarem uma máxima de quatro semanas mais cedo na sessão, em meio a um enfraquecimento do furacão Ida que forçou o fechamento da produção da commodity no Golfo dos EUA, enquanto a Opep+ parece pronta para prosseguir com um aumento planejado de produção.

Em 12 horas após chegar à costa, a tempestade enfraqueceu e se transformou em um furacão de categoria 1. Quase toda a produção offshore de petróleo do Golfo, ou 1,74 milhão de barris por dia, foi suspensa antes do evento climático.

O petróleo Brent subia 0,13 dólar, ou 0,18%, a 72,83 dólares por barril, às 11:36 (horário de Brasília).

O petróleo dos Estados Unidos avançava 0,03 dólar, ou 0,04%, a 68,77 dólares por barril.

"O furacão Ida ditará a direção do petróleo no curto prazo", disse Jeffrey Halley, analista de mercado sênior da OANDA. "Se Ida enfraquecer e seu caminho de destruição for menor do que o esperado, a alta do petróleo perderá momentaneamente o ímpeto aqui."

Enquanto o petróleo caiu na expectativa de uma rápida recuperação do fornecimento, a gasolina dos EUA subiu quase 2%, já que as interrupções de energia aumentaram o fechamento de refinarias na costa do Golfo e os comerciantes pesaram a possibilidade de interrupções prolongadas.

O Brent se recuperou 40% este ano, apoiado por cortes de oferta pelo grupo formado pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo e por aliados, conhecido como Opep+, e alguma recuperação na demanda após colapso induzido pela pandemia no ano passado.

A Opep+ se reúne na quarta-feira para discutir um aumento programado de 400 mil barris por dia em sua produção de petróleo, no que seria mais uma flexibilização dos cortes recordes feitos no ano passado.

(Reportagem adicional de Aaron Sheldrick)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos