Mercado fechará em 1 h 35 min
  • BOVESPA

    113.067,24
    +2.141,64 (+1,93%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.504,54
    +46,99 (+0,09%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,42
    +0,20 (+0,25%)
     
  • OURO

    1.811,50
    -3,70 (-0,20%)
     
  • BTC-USD

    16.967,32
    +16,79 (+0,10%)
     
  • CMC Crypto 200

    402,82
    +1,39 (+0,35%)
     
  • S&P500

    4.060,27
    -16,30 (-0,40%)
     
  • DOW JONES

    34.323,89
    -71,12 (-0,21%)
     
  • FTSE

    7.556,23
    -2,26 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,09 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.777,90
    -448,18 (-1,59%)
     
  • NASDAQ

    11.971,00
    -91,75 (-0,76%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4823
    +0,0169 (+0,31%)
     

Preços do petróleo tocam mínima de 10 meses após reportagem indicar aumento da produção da Opep+

Barris de petróleo em miniatura 3D

Por Noah Browning

LONDRES (Reuters) - Os preços do petróleo caíam para o nível mais baixo desde o início de janeiro nesta segunda-feira, depois que o Wall Street Journal publicou que a Arábia Saudita e outros produtores de petróleo da Opep estão discutindo um aumento na produção.

Os contratos futuros do petróleo Brent para janeiro caíam cerca de 5,4%, para 83,55 dólares o barril às 12h46 (horário de Brasília).

Os futuros do petróleo nos EUA (WTI) para dezembro caíam cerca de 5,6%, para 75,55 dólares antes do vencimento do contrato nesta segunda-feira.

O contrato de janeiro mais ativo,, caía cerca de 5,19%, para 75,99 dólares.

Um aumento de até 500.000 barris por dia (bpd) será discutido na reunião da Opep+ em 4 de dezembro, informou o The Wall Street Journal.

A Reuters não pôde verificar imediatamente a informação.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e seus aliados, conhecidos como Opep+, reduziram recentemente as metas de produção e o ministro da Energia da Arábia Saudita, líder de fato, foi citado neste mês como tendo dito que o grupo permanecerá cauteloso.

Enquanto isso, os temores de oferta diminuíram amplamente, enquanto as preocupações com a demanda chinesa por combustível e a força do dólar americano pesaram sobre os preços.

As expectativas de novos aumentos nas taxas de juros impulsionaram o dólar, tornando as commodities denominadas em dólares mais caras para os investidores.

"Além da perspectiva de demanda enfraquecida devido às restrições impostas pela Covid na China, uma recuperação do dólar americano hoje também é um fator de baixa para os preços do petróleo", disse Tina Teng, analista da CMC Markets.

"O sentimento de risco se torna frágil à medida que todos os dados econômicos recentes dos principais países apontam para um cenário de recessão, especialmente no Reino Unido e na zona do euro", disse a analista.

(Reportagem de Noah Browning; Reportagem adicional de Florence Tan e Emily Chow)