Mercado abrirá em 1 h 39 min

Preços do petróleo têm máximas de 9 meses com progresso por estímulos nos EUA

Jessica Resnick-Ault
·1 minuto de leitura

Por Jessica Resnick-Ault

NOVA YORK (Reuters) - Os contratos futuros do petróleo avançaram e atingiram máximas de nove meses nesta quinta-feira, com operadores otimistas em relação ao progresso de um acordo para estímulos fiscais nos Estados Unidos e com uma demanda recorde para refino na China e Índia.

Na quarta-feira, parlamentares norte-americanos se aproximaram de um acerto para um pacote de 900 bilhões de dólares em alívios relacionados à pandemia de coronavírus.

O dólar atingiu uma mínima de dois anos e meio ante seus principais rivais nesta quinta. Como o petróleo é precificado na divisa dos EUA, o movimento torna a commodity mais barata para detentores de outras moedas.

O petróleo Brent fechou em alta de 0,42 dólar, a 51,50 dólares por barril, após tocar uma máxima de 51,90 dólares na sessão.

Já o petróleo dos EUA (WTI) avançou 0,54 dólar, para 48,36 dólares o barril, com um pico de 48,59 dólares na sessão. Ambos os valores de referência atingiram os maiores níveis desde o início de março.

"A Ásia ficou à frente da curva na recuperação do coronavírus", disse Phil Flynn, analista sênior do Price Futures Group em Chicago. "Ver o que estamos vendo na Ásia aumenta as expectativas de que no Ano Novo haverá um rápido aumento na demanda por petróleo, à medida que a vacina é implementada nos EUA", afirmou.

(Reportagem adicional de Jessica Jaganathan e Dmitry Zhdannikov)