Mercado fechará em 49 mins
  • BOVESPA

    119.463,43
    -101,01 (-0,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.913,53
    +513,73 (+1,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,77
    -0,86 (-1,31%)
     
  • OURO

    1.814,80
    +30,50 (+1,71%)
     
  • BTC-USD

    55.786,38
    -1.495,98 (-2,61%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.448,23
    -23,18 (-1,58%)
     
  • S&P500

    4.174,53
    +6,94 (+0,17%)
     
  • DOW JONES

    34.370,52
    +140,18 (+0,41%)
     
  • FTSE

    7.076,17
    +36,87 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.637,46
    +219,46 (+0,77%)
     
  • NIKKEI

    29.331,37
    +518,77 (+1,80%)
     
  • NASDAQ

    13.497,50
    +6,50 (+0,05%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3656
    -0,0613 (-0,95%)
     

Preços do petróleo sobem diante de desvalorização do dólar; pandemia limita ganhos

Devika Krishna Kumar
·1 minuto de leitura

Por Devika Krishna Kumar

NOVA YORK (Reuters) - Os preços do petróleo avançaram nesta segunda-feira, apoiados pela desvalorização do dólar, mas tiveram ganhos limitados por preocupações com o impacto que o aumento do número de casos de coronavírus na Índia pode ter sobre a demanda.

O petróleo Brent fechou em alta de 0,28 dólar, ou 0,4%, a 67,05 dólares por barril, depois de subir 6% na semana passada. Já o petróleo dos Estados Unidos (WTI) avançou 0,25 dólar, ou 0,4%, para 63,38 dólares o barril, após ganhos de 6,4% na última semana.

O dólar operava em uma mínima de seis semanas ante uma cesta de moedas nesta segunda-feira, com os rendimentos dos Treasuries girando em torno dos menores níveis em cinco semanas.

A desvalorização do dólar torna o petróleo mais barato para detentores de outras moedas. No entanto, o número de casos de Covid-19 disparou na Índia, terceira maior importadora e consumidora de petróleo do mundo, afetando o otimismo com uma recuperação global sustentada na demanda pela commodity.

"Se o enfraquecimento amplo de hoje no dólar for sustentado, o complexo de energia deve conseguir segurar a maior parte dos ganhos da semana passada", disse Jim Ritterbusch, presidente da Ritterbusch and Associates.

"A principal ameaça ao aumento contínuo dos preços do petróleo é a possibilidade de um retorno das contagens de casos de Covid-19 em larga escala... Grandes porções da Ásia estão vendo um novo aumento no número de casos, o que poderia forçar uma reavaliação dos ajustes positivos recentes para a demanda por petróleo", acrescentou.

(Reportagem adicional de Ahmad Ghaddar, em Londres, e Aaron Sheldrick, em Tóquio)