Mercado abrirá em 9 h 42 min
  • BOVESPA

    110.334,83
    +299,66 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.784,58
    +191,67 (+0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,64
    -1,00 (-1,65%)
     
  • OURO

    1.710,00
    -13,00 (-0,75%)
     
  • BTC-USD

    49.277,73
    +2.782,78 (+5,99%)
     
  • CMC Crypto 200

    987,85
    +59,62 (+6,42%)
     
  • S&P500

    3.901,82
    +90,67 (+2,38%)
     
  • DOW JONES

    31.535,51
    +603,14 (+1,95%)
     
  • FTSE

    6.588,53
    +105,10 (+1,62%)
     
  • HANG SENG

    29.264,08
    -188,49 (-0,64%)
     
  • NIKKEI

    29.554,75
    -108,75 (-0,37%)
     
  • NASDAQ

    13.238,00
    -41,75 (-0,31%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7820
    -0,0136 (-0,20%)
     

Preços do petróleo sobem com queda em estoques compensando preocupação com Covid

Alex Lawler
·1 minuto de leitura

Por Alex Lawler

LONDRES (Reuters) - Os preços do petróleo subiam nesta quarta-feira, com o Brent ultrapassando 56 dólares por barril após dados da indústria mostrarem queda inesperada nos estoques nos Estados Unidos, o que compensou preocupações com a demanda devido aos casos de coronavírus, que ultrapassaram a marca de 100 milhões no mundo.

O Instituto Americano do Petróleo (API) disse que os estoques da commodity nos EUA recuaram em 5,3 milhões de barris, enquanto analistas esperavam um aumento.

O petróleo Brent subia 0,32 dólar, ou 0,57%, a 56,23 dólares por barril, às 8:32 (horário de Brasília). O petróleo dos Estados Unidos avançava 0,27 dólar, ou 0,51%, a 52,88 dólares por barril.

Dados oficiais da Agência de Informações de Energia (AIE) sobre os estoques serão divulgados nesta quarta-feira.

"As preocupações com a demanda devem permanecer conosco por algum tempo", dosse Eugen Weinberg, do Commerzbank. "E ainda assim o mercado parece atualmente mais determinado a abraçar as notícias positivas."

O Brent está perto de uma máxima de 11 meses de 57,42 dólares atingida em 13 de janeiro. Ele se recuperou de mínima de 21 anos vista em abril, abaixo de 16 dólares, impulsionado principalmente por uma recuperação da demanda na China e por cortes de oferta da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e seus aliados, conhecidos como grupo Opep+.