Mercado abrirá em 4 h 9 min
  • BOVESPA

    111.539,80
    +1.204,97 (+1,09%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.682,19
    +897,61 (+2,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,93
    +0,18 (+0,30%)
     
  • OURO

    1.725,80
    -7,80 (-0,45%)
     
  • BTC-USD

    50.661,00
    +2.072,90 (+4,27%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.015,30
    +27,20 (+2,75%)
     
  • S&P500

    3.870,29
    -31,53 (-0,81%)
     
  • DOW JONES

    31.391,52
    -143,99 (-0,46%)
     
  • FTSE

    6.692,69
    +78,94 (+1,19%)
     
  • HANG SENG

    29.880,42
    +784,56 (+2,70%)
     
  • NIKKEI

    29.559,10
    +150,93 (+0,51%)
     
  • NASDAQ

    13.171,75
    +116,50 (+0,89%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,8704
    +0,0083 (+0,12%)
     

Preços do petróleo sobem com perspectivas econômicas e volta lenta de produção nos EUA

Bozorgmehr Sharafedin
·1 minuto de leitura

Por Bozorgmehr Sharafedin

LONDRES (Reuters) - Os preços do petróleo subiam nesta terça-feira, sustentados pela expectativa de alívio em restrições associadas à Covid-19 pelo mundo, perspectivas econômicas positivas e menor oferta nos Estados Unidos, onde a produção tem sido lenta em retornar após impactos de uma onda de frio no Texas que paralisou operações.

O petróleo Brent subia 0,62 dólar, ou 0,95%, a 65,86 dólares por barril, às 8:23 (horário de Brasília). O petróleo dos Estados Unidos avançava 0,55 dólar, ou 0,89%, a 62,25 dólares por barril.

"As notícias sobre vacinas estão ajudando o petróleo, com a provável retirada de restrições de mobilidade ao longo dos próximos meses devido à aplicação das vacinas, que deve impulsionar mais a demanda por petróleo e a recuperação dos preços", disse o analista do UBS, Giovanni Staunovo.

O analista do Commerzbank Eugen Weinberg disse que algumas projeções bastante otimistas de preços de petróleo também contribuíram para levantar as cotações.

O Goldman Sachs espera que os preços do petróleo Brent subam para 70 dólares por barril no terceiro trimestre.

"Novos casos de Covid-19 estão caindo rapidamente pelo mundo, os dados de mobilidade estão saindo do fundo do poço e começando a melhorar, e em países de fora da OCDE refinarias já têm rodado em ritmo tão forte quanto antes da Covid-19", disse o Morgan Stanley em nota.

Os preços também foram apoiados por interrupções à produção após uma tempestade de inverno no Texas na semana passada.