Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +413,26 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,07
    -0,39 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.777,30
    +10,50 (+0,59%)
     
  • BTC-USD

    62.149,14
    -652,54 (-1,04%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,97
    +7,26 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,68 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,57 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,68 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.024,00
    +10,00 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6872
    -0,0339 (-0,50%)
     

Preços do petróleo sobem com Opep+ avaliando manter cortes ao invés de ampliar oferta

Bozorgmehr Sharafedin
·1 minuto de leitura

Por Bozorgmehr Sharafedin

LONDRES (Reuters) - Os preços do petróleo subiam nesta quarta-feira, impulsionados por expectativas de que produtores da aliança Opep+ possam decidir contra um aumento de oferta em sua reunião nesta semana, enquanto sinais de progresso na vacinação contra o coronavírus nos Estados Unidos deram suporte adicional.

O petróleo Brent subia 1,26 dólar, ou 2,01%, a 63,96 dólares por barril, às 8:17 (horário de Brasília). O petróleo dos Estados Unidos avançava 1,14 dólar, ou 1,91%, a 60,89 dólares por barril.

"Os fundamentos do mercado de petróleo sugerem uma força adicional conforme a demanda crescer com a recuperação, e as atividades de viagens e lazar devem ter uma retomada", disse Norbert Rucker, analista do banco suíço Julius Baer.

"Nós vemos os preços do petróleo subindo temporariamente acima de 70 dólares em meados do ano", acrescentou ele.

Os preços do petróleo saltaram após a Reuters publicar, com informação de três fontes, que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e seus aliados, o grupo cohecido como Opep+, tem considerado manter seus cortes de produçã em março e abril, ao invés de aumentar a produão.

O grupo tem reunião na quinta-feira. O mercado vinha amplamente esperando um relaxamento nos cortes de oferta da Opep+.