Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.221,19 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,64 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,66
    -1,87 (-2,94%)
     
  • OURO

    1.733,00
    -42,40 (-2,39%)
     
  • BTC-USD

    45.218,71
    -1.384,48 (-2,97%)
     
  • CMC Crypto 200

    912,88
    -20,25 (-2,17%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,64 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    28.980,21
    -1.093,96 (-3,64%)
     
  • NIKKEI

    28.966,01
    -1.202,26 (-3,99%)
     
  • NASDAQ

    12.905,75
    +74,00 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7583
    +0,0194 (+0,29%)
     

Preços do petróleo sobem com expectativa por estímulos nos EUA e oferta mais apertada

Devika Krishna Kumar
·2 minuto de leitura

Por Devika Krishna Kumar

NOVA YORK (Reuters) - Os preços do petróleo subiram mais de 2% nesta sexta-feira, atingindo os maiores níveis em mais de um ano, por expectativas de que estímulos nos Estados Unidos darão impulso à economia e à demanda por combustíveis, em momento de ofertas mais apertadas devido especialmente aos cortes de bombeamento realizados por grandes países produtores.

O petróleo Brent fechou em alta de 1,29 dólar, ou 2,1%, a 62,43 dólares por barril, após tocar uma máxima de 62,83 dólares na sessão, mais alto patamar desde 22 de janeiro de 2020.

Já o petróleo dos EUA (WTI) avançou 1,23 dólar, ou 2,1%, para 59,47 dólares o barril, depois de atingir a marca de 59,82 dólares, maior nível desde 9 de janeiro de 2020.

No acumulado da semana, a referência norte-americana teve ganho de 4,7%, enquanto o Brent subiu 5,3%.

O presidente dos EUA, Joe Biden, vai se reunir com um grupo bipartidário de prefeitos e governadores em meio a um esforço para a aprovação de um plano de 1,9 trilhão de dólares em alívio ao coronavírus, que visa impulsionar o crescimento econômico e ajudar milhões de trabalhadores desempregados.

Nos mercados acionários, os três principais índices norte-americanos caminhavam para a segunda semana consecutiva de ganhos. Uma firme queda nos números de novos casos de Covid-19 e hospitalizações pela doença têm sustentado expectativas de que a vida eventualmente voltará ao normal.

"O estímulo esperado nos EUA e o progresso contínuo da vacinação devem fazer com que o apetite por ativos de risco se mantenha, oferecendo suporte ao mercado de petróleo", disse Jim Ritterbusch, presidente da Ritterbusch and Associates em Galena, Illinois.

(Reportagem adicional de Ahmad Ghaddar, em Londres, e Aaron Sheldrick, em Tóquio)