Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.038,11
    +2.117,50 (+1,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.249,02
    +314,11 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,82
    +0,11 (+0,17%)
     
  • OURO

    1.832,00
    +16,30 (+0,90%)
     
  • BTC-USD

    57.033,11
    +574,87 (+1,02%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.480,07
    +44,28 (+3,08%)
     
  • S&P500

    4.232,60
    +30,98 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    34.777,76
    +229,23 (+0,66%)
     
  • FTSE

    7.129,71
    +53,54 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,81 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,45 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.715,50
    +117,75 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3651
    -0,0015 (-0,02%)
     

Preços do petróleo sobem com dados da China, mas interrupção em vacina da J&J pesa

Jessica Resnick-Ault
·1 minuto de leitura
Bombeamento de petróleo em Neuquén, Argentina

Por Jessica Resnick-Ault

NOVA YORK (Reuters) - Os preços do petróleo avançaram nesta terça-feira, apoiados por fortes dados de importação da China, embora o rali tenha sido contido por temores de que a interrupção do uso de vacinas da Johnson & Johnson possa retardar a recuperação econômica e limitar o crescimento da demanda pela commodity.

Os contratos futuros do petróleo Brent fecharam em alta de 0,39 dólar, ou 0,6%, a 63,67 dólares por barril, enquanto o petróleo dos Estados Unidos (WTI) avançou 0,48 dólar, ou 0,8%, para 60,18 dólares o barril. Ambas as referências engataram a quinta sessão consecutiva com variações de menos de 1%.

"Temos operado em um intervalo limitado, e precisamos de dados claros de demanda e de orientações sobre os estoques dos EUA para romper esse intervalo", disse Phil Flynn, analista sênior do Price Futures Group em Chicago.

As exportações chinesas avançaram em ritmo robusto em março, em novo impulso à recuperação econômica do país, com a demanda global ganhando força em meio ao progresso da vacinação contra a Covid-19. Já o crescimento das importações atingiu o maior nível em quatro anos.

As importações de petróleo pela China saltaram 21% em março ante igual período do ano anterior, à medida que refinarias aceleraram operações.

Além disso, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) elevou sua projeção para o crescimento da demanda por petróleo em 2021 em 70 mil barris por dia (bpd) frente à estimativa anterior, para 5,95 milhões de bpd, ou 6,6%.

(Reportagem adicional de Jessica Jaganathan, em Cingapura, e Shadia Nasralla, em Londres)