Mercado fechará em 4 h 21 min
  • BOVESPA

    110.714,21
    -1.209,72 (-1,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    0,00 (0,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,33
    +2,35 (+2,94%)
     
  • OURO

    1.802,70
    -6,90 (-0,38%)
     
  • BTC-USD

    17.228,25
    +272,83 (+1,61%)
     
  • CMC Crypto 200

    408,10
    -3,12 (-0,76%)
     
  • S&P500

    4.050,71
    -20,99 (-0,52%)
     
  • DOW JONES

    34.244,24
    -185,64 (-0,54%)
     
  • FTSE

    7.584,02
    +27,79 (+0,37%)
     
  • HANG SENG

    19.518,29
    +842,94 (+4,51%)
     
  • NIKKEI

    27.820,40
    +42,50 (+0,15%)
     
  • NASDAQ

    11.925,25
    -85,00 (-0,71%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5311
    +0,0371 (+0,68%)
     

Preços do petróleo sobem 5% em meio a possível alívio da China em medidas contra Covid

Por Laura Sanicola

(Reuters) - Os preços do petróleo fecharam com alta de mais de 5% nesta sexta-feira em meio à incerteza sobre futuros aumentos das taxas de juros pelo Federal Reserve dos EUA, enquanto uma iminente proibição da UE ao petróleo russo e a possibilidade de a China aliviar algumas restrições relacionadas à Covid apoiaram os mercados.

Embora os temores de uma recessão global tenham limitado os ganhos, os futuros de petróleo Brent subiram 3,99 dólares, a 98,57 dólares por barril, tendo um ganho semanal de 2,9%.

Os contratos futuros de petróleo nos EUA (WTI) subiram 2,96 dólares, ou 5%, para 92,61 dólares, e um ganho semanal de 4,7%.

A China está cumprindo suas rígidas restrições à Covid-19 depois que os casos aumentaram na quinta-feira para o nível mais alto desde agosto, mas uma ex-autoridade chinesa de controle de doenças disse que mudanças substanciais na política de Covid-19 do país devem ocorrer em breve.

Os mercados de ações da China foram impulsionados esta semana pelos rumores do fim dos bloqueios rigorosos, apesar da falta de mudanças anunciadas.

No entanto, os sinais sobre o tamanho dos aumentos das taxas de juros nos EUA fizeram com que o petróleo reduzisse alguns ganhos.

O presidente do Federal Reserve de Richmond, Thomas Barkin, disse nesta sexta-feira que está pronto para agir de forma mais "deliberativa" considerando o ritmo dos futuros aumentos das taxas de juros dos EUA, mas disse que as taxas podem continuar subindo por mais tempo e para um ponto final mais alto do que o esperado anteriormente.

(Reportagem adicional de Julia Payne em Londres e Sonali Paul em Melbourne e Jeslyn Lerh em Cingapura)