Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.348,80
    -3.131,73 (-2,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.892,28
    -178,63 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,04
    -1,53 (-2,86%)
     
  • OURO

    1.827,70
    -23,70 (-1,28%)
     
  • BTC-USD

    37.631,88
    +1.526,03 (+4,23%)
     
  • CMC Crypto 200

    701,93
    -33,21 (-4,52%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,26 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.735,71
    -66,25 (-0,97%)
     
  • HANG SENG

    28.573,86
    +77,00 (+0,27%)
     
  • NIKKEI

    28.519,18
    -179,08 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    12.759,00
    -142,00 (-1,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3926
    +0,0791 (+1,25%)
     

Preços do petróleo sobem 2% após redução nos estoques dos EUA

Stephanie Kelly
·1 minuto de leitura
Bombeamento de petróleo em Midland, Texas (EUA)

Por Stephanie Kelly

NOVA YORK (Reuters) - Os preços do petróleo subiram mais de 2% nesta quarta-feira, impulsionados pelas quedas nos estoques da commodity, de gasolina e de produtos refinados nos Estados Unidos, que aumentaram as esperanças de investidores na retomada da demanda por combustíveis.

Os contratos futuros do petróleo Brent fecharam em alta de 1,12 dólar, ou 2,2%, a 51,20 dólares por barril, enquanto o petróleo dos EUA (WTI) subiu 1,1 dólar, ou 2,3%, para 48,12 dólares o barril.

Os estoques de petróleo dos EUA registraram queda de 562 mil barris na semana até 18 de dezembro, atingindo 499,5 milhões de barris, disse a Administração de Informação sobre Energia (AIE) nesta quarta-feira.

Já as reservas de gasolina do país tiveram um surpreendente recuo de 1,1 milhão de barris na semana, para 237,8 milhões de barris, indicou a AIE, enquanto os estoques de produtos refinados cederam em 2,3 milhões de barris, mais do que o esperado, alcançando 148,9 milhões de barris.

"Vimos uma recuperação modesta na demanda por refinados e gasolina, uma indicação do período de festas", disse Andrew Lipow, presidente da Lipow Oil Associates em Houston. "Esses números de demanda, combinados com as quedas nos estoques de gasolina e refinados, ajudaram a dar suporte ao mercado", acrescentou.

(Reportagem de Stephanie Kelly, em Nova York; reportagem adicional de Ahmad Ghaddar em Londres, Sonali Paul em Melbourne e Koustav Samanta em Cingapura)