Mercado abrirá em 8 h 55 min
  • BOVESPA

    106.419,53
    -2.295,02 (-2,11%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.206,59
    +372,79 (+0,72%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,10
    -0,55 (-0,65%)
     
  • OURO

    1.790,00
    -3,40 (-0,19%)
     
  • BTC-USD

    60.512,94
    -2.167,26 (-3,46%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.468,77
    -36,38 (-2,42%)
     
  • S&P500

    4.574,79
    +8,31 (+0,18%)
     
  • DOW JONES

    35.756,88
    +15,73 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.277,62
    +54,80 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    25.568,23
    -470,04 (-1,81%)
     
  • NIKKEI

    28.946,61
    -159,40 (-0,55%)
     
  • NASDAQ

    15.531,25
    -13,75 (-0,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4568
    +0,0027 (+0,04%)
     

Preços do petróleo recuam de máxima de diversos anos após aumento de estoques dos EUA

·1 minuto de leitura
Plataforma marítima de petróleo no Golfo de México.

Por David Gaffen

NOVA YORK (Reuters) - Os preços do petróleo caíram quase 2% nesta quarta-feira, recuando das máximas de diversos anos, já que um aumento inesperado nos estoques de petróleo dos Estados Unidos levou os compradores a uma pausa após os recentes ganhos.

Os estoques de petróleo dos EUA aumentaram 2,3 milhões de barris na semana passada, contra as expectativas de uma queda modesta de 418.000 barris, disse o Departamento de Energia dos EUA. Os estoques de gasolina também aumentaram, enquanto os estoques de derivados caíram apenas modestamente. [EIA/S]

O petróleo Brent atingiu 83,47 dólares o barril, a sua máxima desde outubro de 2018, mas fechou em 81,08 dólares, queda de 1,48 dólar o barril, ou 1,8%.

Enquanto o petróleo dos EUA avançou para 79,78 dólares, a máxima desde novembro de 2014, antes de cair para 77,43 dólares, para um recuo diário de 1,50 dólar, ou 1,9%.

"Vimos alguma realização de lucros porque o petróleo aumentou significativamente", disse Gary Cunningham, diretor da Tradition Energy em Stamford, Connecticut.

O preço de referência Brent subiu mais de 50% este ano, aumentando a pressão inflacionária, que pode desacelerar a recuperação da pandemia de Covid-19. O gás natural atingiu um pico recorde na Europa e os preços do carvão dos principais exportadores também atingiram máximas históricas.

O último aumento nos preços do petróleo foi sustentado pela recusa da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e seus aliados em aumentar mais a produção.

(Reportagem de Naveen Thukral)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos