Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,91 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,59 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,96
    -0,65 (-0,90%)
     
  • OURO

    1.753,90
    -2,80 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    47.584,70
    -540,60 (-1,12%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,48
    -32,05 (-2,62%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,42 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.282,75
    -226,75 (-1,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1994
    +0,0146 (+0,24%)
     

Preços do petróleo recuam após cortes de preços da Arábia Saudita

·1 minuto de leitura
Unidade petrolifera a Midland

Por Stephanie Kelly

Nova YORK (Reuters) - Os preços do petróleo recuaram nesta segunda-feira, após os cortes acentuados da Arábia Saudita nos preços de contrato do petróleo para a Ásia reacenderem preocupações com as perspectivas da demanda.

Os contratos futuros do Brent recuaram 0,39 dólar para fechar em 72,22 dólares o barril. O petróleo dos EUA (WTI) recuou 0,40 dólar em 68,89 dólares o barril.

O grupo estatal de petróleo Saudi Aramco notificou os clientes em um comunicado no domingo que iria cortar os preços oficiais de venda (OSPs, na sigla em inglês) de outubro para todos os tipos de petróleo vendidos para a Ásia, sua maior região de compra, em pelo o menos 1 dólar o barril.

Os cortes dos preços foram maiores que o esperado, baseado numa pesquisa da Reuters com refinarias asiáticas.

"Quando a gigante saudita corta seus preços de venda para a Ásia em outubro, sinalizando que vê a relação entre oferta e demanda mudando ligeiramente, os traders não podem deixar de seguir esse caminho hoje", disse Bjornar Tonhaugen, chefe de mercados de petróleo da Rystad Energy.

As ofertas globais de petróleo estão aumentando a medida que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e seus aliados, um grupo conhecido como Opep+, estão aumentando a produção em 400 mil barris por dia (bpd) a cada mês entre agosto e dezembro.

(Reportagem adicional de Julia Payne e Florence Tan)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos