Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +412,93 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,07
    -0,39 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.777,30
    +10,50 (+0,59%)
     
  • BTC-USD

    55.014,25
    -6.032,43 (-9,88%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,97
    +7,26 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,67 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,61 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,67 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.024,00
    +10,00 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6943
    -0,0268 (-0,40%)
     

Preços do petróleo recuam antes de reunião da Opep+

Shadia Nasralla
·1 minuto de leitura

Por Shadia Nasralla

LONDRES (Reuters) - Os preços do petróleo recuavam nesta quinta-feira, antes de uma reunião entre a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e aliados para decidir sobre um eventual relaxamento de seus cortes de produção e depois de um salto recorde nos estoques de petróleo nos Estados Unidos devido à paralisação de refinarias no Texas.

O petróleo Brent recuava 0,32 dólar, ou 0,5%, a 63,75 dólares por barril, às 8:44 (horário de Brasília). O petróleo dos Estados Unidos caía 0,31 dólar, ou 0,51%, a 60,97 dólares por barril.

A Opep e seus aliados, conhecidos em conjunto como Opep+, têm considerado manter seus cortes de produção em abril ao invés de elevar a oferta, disseram três fontes do grupo à Reuters , citando a fragilidade da recuperação da demanda por petróleo em meio à crise do coronavírus.

O mercado esperava que a Opep+ reduzisse os cortes em cerca de 500 mil barris por dia em abril e que a Arábia Saudita encerrasse um corte voluntário adicional de 1 milhão de barris por dia. A intenção dos sauditas, no entanto, ainda não está clara.

"Os preços recuaram à medida que duas questões relacionadas ficaram sem respostas", disseram analistas da corretora PVM, citando dúvidas sobre o nível de produção saudita e a oferta da Opep no restante do trimestre.