Mercado abrirá em 2 h 17 min
  • BOVESPA

    114.428,18
    -219,81 (-0,19%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.686,03
    -112,35 (-0,21%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,53
    +1,09 (+1,32%)
     
  • OURO

    1.779,80
    +14,10 (+0,80%)
     
  • BTC-USD

    62.215,68
    +412,21 (+0,67%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.452,23
    +0,59 (+0,04%)
     
  • S&P500

    4.486,46
    +15,09 (+0,34%)
     
  • DOW JONES

    35.258,61
    -36,15 (-0,10%)
     
  • FTSE

    7.206,02
    +2,19 (+0,03%)
     
  • HANG SENG

    25.787,21
    +377,46 (+1,49%)
     
  • NIKKEI

    29.215,52
    +190,06 (+0,65%)
     
  • NASDAQ

    15.326,00
    +35,50 (+0,23%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4123
    +0,0208 (+0,33%)
     

Preços do petróleo recuam 2% com aversão ao risco e fortalecimento do dólar

·2 minuto de leitura
Exploração de petróleo em Carlsbad, Novo México

Por Devika Krishna Kumar

NOVA YORK (Reuters) - Os preços do petróleo caíram 2% nesta segunda-feira, com os investidores ficando mais avessos ao risco, o que prejudicou os mercados de ações e impulsionou o dólar americano, tornando a commodity mais cara para detentores de outras moedas.

O Brent recuou 1,42 dólar, ou 1,9%, para fechar em 73,92 dólares o barril, após recuar para a mínima da sessão de 73,52 dólares. O petróleo dos EUA (WTI) caiu 1,68 dólar, ou 2,3%, para fechar em 70,29 dólares, após recuar para a mínima de 69,86 dólares.

O dólar, visto como um porto seguro, subiu à medida que as preocupações com a solvência da incorporadora chinesa Evergrande assustaram os mercados de ações. [USD/]

"Como o dólar americano geralmente é um porto seguro, sua taxa de câmbio em relação a outras moedas se fortalece, um desenvolvimento que complementa o ambiente de aversão ao risco e afeta os preços das commodities, especialmente o petróleo", disse o analista de mercados de petróleo da Rystad Energy, Nishant Bhushan.

Ainda assim, o petróleo atraiu algum apoio de sinais de que parte da produção do Golfo dos EUA ficará fora de linha por meses devido aos danos da tempestade.

O Brent avançou 43% este ano, apoiado por cortes de fornecimento pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados, e alguma recuperação na demanda após o colapso induzido pela pandemia do ano passado.

As perdas nesta segunda-feira foram limitadas devido à interrupções no fornecimento no Golfo do México, diante dos dois furacões recentes. Na sexta-feira, as empresas produtoras tinham 23% da produção de petróleo desligada, ou 422.078 barris por dia.

(Reportagem de Alex Lawler; Reportagem adicional de Sonali Paul em Melbourne e Roslan Khasawneh e Koustav Samanta em Cingapura)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos