Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.800,79
    -3.874,54 (-3,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.868,32
    -766,28 (-1,48%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,81
    +0,19 (+0,26%)
     
  • OURO

    1.812,50
    -18,70 (-1,02%)
     
  • BTC-USD

    41.750,94
    +2.082,34 (+5,25%)
     
  • CMC Crypto 200

    955,03
    +5,13 (+0,54%)
     
  • S&P500

    4.395,26
    -23,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.935,47
    -149,06 (-0,42%)
     
  • FTSE

    7.032,30
    -46,12 (-0,65%)
     
  • HANG SENG

    25.961,03
    -354,29 (-1,35%)
     
  • NIKKEI

    27.283,59
    -498,83 (-1,80%)
     
  • NASDAQ

    14.966,50
    -71,25 (-0,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1880
    +0,1475 (+2,44%)
     

Preços do petróleo ficam próximos de máxima de 3 anos com sinais de alta na demanda

·1 minuto de leitura
Bombeamento de petróleo no condado de Loving, Texas (EUA)

Por Laura Sanicola

NOVA YORK (Reuters) - Os preços do petróleo fecharam em leve alta nesta quinta-feira, perto de uma máxima de quase três anos, apoiado por recuos nos estoques dos Estados Unidos e aceleração da atividade econômica na Alemanha.

Os preços também sofreram impacto de dúvidas sobre o futuro do acordo nuclear do Irã de 2015, que poderia acabar com as sanções dos EUA sobre as exportações de petróleo do Irã.

O petróleo Brent fechou em alta de 0,37 dólar, ou 0,5%, para 75,56 dólares o barril, após subir a 75,78 dólares. Já o petróleo nos EUA fechou em alta de 0,22 dólar para 73,30 dólares o barril, após atingir a máxima da sessão a 73,61 dólares.

Na quarta-feira, os dois benchmarks atingiram seu maior nível desde outubro de 2018. https://refini.tv/3w2pz6N

Dados da Alemanha mostraram a maior alta nas condições de varejo desde a reunificação alemã, há mais de três décadas, alimentando expectativas de recuperação da demanda por combustível na Europa.

Do outro lado do Atlântico, os estoques de petróleo dos EUA recuaram para uma mínima desde março de 2020, de acordo com dados oficias, que mostraram uma surpreendente redução também nos estoques de gasolina. [EIA/S]

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados, conhecidos como Opep+, que se encontrará 1º de julho, têm discutido uma nova redução dos cortes recordes de produção do ano passado desde agosto, mas nenhuma decisão foi tomada, disseram duas fontes da Opep+ na terça-feira.

(Reportagem adicional de Ron Bousso e Yuka Obayashi em Tóquio)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos