Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.095,06
    -444,73 (-0,40%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.384,90
    +702,71 (+1,54%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,24
    +1,49 (+2,49%)
     
  • OURO

    1.713,90
    -19,70 (-1,14%)
     
  • BTC-USD

    50.485,18
    +2.880,43 (+6,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.009,56
    +21,47 (+2,17%)
     
  • S&P500

    3.819,72
    -50,57 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    31.270,09
    -121,43 (-0,39%)
     
  • FTSE

    6.675,47
    +61,72 (+0,93%)
     
  • HANG SENG

    29.880,42
    +784,56 (+2,70%)
     
  • NIKKEI

    29.559,10
    +150,93 (+0,51%)
     
  • NASDAQ

    12.681,25
    -374,00 (-2,86%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7837
    -0,0784 (-1,14%)
     

Preços do petróleo fecham quase estáveis, pressionados por pandemia e demanda

Devika Krishna Kumar
·1 minuto de leitura

Por Devika Krishna Kumar

NOVA YORK (Reuters) - Os preços do petróleo fecharam nesta terça-feira praticamente estáveis, com o aumento contínuo no número de casos de coronavírus no mundo afetando as perspectivas de demanda, mas relatos de uma explosão na Arábia Saudita limitando as perdas nos mercados da commodity.

O petróleo Brent terminou a sessão em leve alta de 0,03 dólar, ou 0,05%, a 55,91 dólares por barril, enquanto o petróleo dos Estados Unidos (WTI) recuou 0,16 dólar, ou 0,3%, a 52,61 dólares o barril.

A Indonésia, quarto país mais populoso do mundo, superou nesta terça a marca de 1 milhão de casos confirmados de coronavírus, enquanto a contagem de mortes no Reino Unido ultrapassou o patamar de 100 mil, em momento em que o governo luta para acelerar as entregas de vacinas e conter a disseminação de variantes do vírus.

Já nos EUA, o número de casos bateu a marca de 25 milhões no último domingo, segundo dados da Reuters.

Em movimento que reduz ainda mais o sentimento altista no mercado, os membros do Partido Democrata norte-americano ainda tentam convencer parlamentares republicanos da necessidade de mais estímulos, levantando dúvidas sobre quando e de que forma um pacote será aprovado.

"Altos números da Covid, dificuldades com as vacinas e incertezas em torno do plano de estímulos de Joe Biden --tudo isso está conspirando para pressionar os preços", disse Robert Yawger, diretor de futuros de energia do Mizuho.

As cotações chegaram a avançar brevemente na sessão, após relatos de uma explosão em Riad, capital da Arábia Saudita, embora os motivos ainda não tenham sido esclarecidos.

(Reportagem adicional de Shadia Nasralla, em Londres, e Aaron Sheldrick, em Tóquio)