Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.786,43
    +113,67 (+0,10%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.298,20
    -104,50 (-0,20%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,25
    +0,38 (+0,45%)
     
  • OURO

    1.783,00
    -1,90 (-0,11%)
     
  • BTC-USD

    66.030,28
    +2.018,56 (+3,15%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.538,50
    +57,70 (+3,90%)
     
  • S&P500

    4.536,19
    +16,56 (+0,37%)
     
  • DOW JONES

    35.609,34
    +152,03 (+0,43%)
     
  • FTSE

    7.223,10
    +5,57 (+0,08%)
     
  • HANG SENG

    26.136,02
    +348,81 (+1,35%)
     
  • NIKKEI

    29.255,55
    +40,03 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    15.352,50
    -25,00 (-0,16%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5196
    +0,0234 (+0,36%)
     

Preços do petróleo fecham acima de US$81 após Opep+ manter aumento gradual de produção

·1 minuto de leitura

Por Laura Sanicola

(Reuters) - O petróleo saltou para um pico de três anos nesta segunda-feira depois que a Opep+ confirmou que manteria sua política de produção atual, uma vez que a demanda por produtos de petróleo está se recuperando, apesar da pressão de alguns países por um aumento maior na produção.

A decisão da organização de produtores de continuar aumentando a produção de petróleo gradualmente fez com que os preços subissem bruscamente, aumentando as pressões inflacionárias que as nações consumidoras temem que atrapalhe a recuperação econômica após a pandemia.

A Opep+ concordou em julho em aumentar a produção em 400.000 barris por dia (bpd) a cada mês, até pelo menos abril de 2022, para eliminar gradualmente os 5,8 milhões de bpd dos cortes de produção existentes.

O petróleo Brent fechou em alta 1,98 dólar, ou 2,5%, para 81,26 dólares o barril. A commodity subiu 1,5% na semana passada, no quarto ganho semanal consecutivo, e voltou às máximas vistas pela última vez em 2018.

O petróleo dos EUA fechou em alta 1,74 dólar, ou 2,3%, para 77,62 dólares o barril, após ganhos nas últimas seis semanas, tendo atingido sua máxima desde 2014.

"Dado o quadro da demanda e o resultado da reunião da Opep, o sentimento geral em torno do petróleo é altista", disse John Kilduff, sócio da Again Capital LLC em Nova York.

A Opep+, que reúne a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e aliados, incluindo a Rússia, enfrentou pressão de alguns países para adicionar mais barris ao mercado, já que a demanda se recuperou mais rápido do que o esperado em algumas partes do mundo.

(Reportagem adicional de Noah Browning e Aaron Sheldrick)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos