Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,99 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,15
    -10,24 (-13,06%)
     
  • OURO

    1.788,10
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    54.883,08
    +845,68 (+1,56%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,82 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,04 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,64 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,66 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.051,00
    -315,00 (-1,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3485
    +0,1103 (+1,77%)
     

Preços do petróleo despencam com pressão de previsão de inverno ameno nos EUA

·1 min de leitura
Plataforma de petróleo no Mar do Norte

Por Laura Sanicola

NOVA YORK (Reuters) - O petróleo despencou nesta quinta-feira à medida que a previsão de um inverno menos rigoroso nos Estados Unidos travou uma alta que levou os preços a uma máxima de três anos acima de 86 dólares o barril no início da sessão, devido à oferta restrita e crise energética global.

Prevê-se que o inverno em grande parte dos EUA seja menos frio do que a média, de acordo com avaliação da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional, divulgada na manhã de quinta-feira.

"O relatório, indicando condições mais secas e quentes no sul e no leste dos Estados Unidos, está pressionando o complexo", disse Bob Yawger, diretor de futuros de energia da Mizuho.

O petróleo Brent caiu 1,21 dólar para 84,61 dólares, após atingir a máxima da sessão de 86,10 dólares, também a máxima desde outubro de 2018. O petróleo dos EUA (WTI) fechou em queda de 0,92 dólar para 82,50 dólares.

Os preços subiram na quarta-feira, quando a Administração de Informação de Energia dos EUA relatou estoques de petróleo e combustível mais apertados, com os estoques no centro de armazenamento de Cushing, Oklahoma, caindo para uma mínima de três anos. [EIA/S]

O preço do Brent obteve forte alta de mais de 60% este ano, apoiado por um lento aumento no fornecimento pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados, conhecidos coletivamente como Opep+, e uma crise global de carvão e gás, que levou geradores de energia a mudarem para petróleo.

(Reportagem adicional de Alex Lawler, Rod Nickel e Yuka Obayashi)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos