Mercado abrirá em 8 h 43 min
  • BOVESPA

    107.557,67
    +698,80 (+0,65%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.918,28
    +312,72 (+0,62%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,85
    -0,20 (-0,28%)
     
  • OURO

    1.790,50
    +5,80 (+0,32%)
     
  • BTC-USD

    50.457,85
    -341,52 (-0,67%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.305,17
    -16,11 (-1,22%)
     
  • S&P500

    4.686,75
    +95,08 (+2,07%)
     
  • DOW JONES

    35.719,43
    +492,40 (+1,40%)
     
  • FTSE

    7.339,90
    +107,62 (+1,49%)
     
  • HANG SENG

    24.038,40
    +54,74 (+0,23%)
     
  • NIKKEI

    28.774,05
    +318,45 (+1,12%)
     
  • NASDAQ

    16.405,00
    +87,00 (+0,53%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3535
    +0,0138 (+0,22%)
     

Preços do petróleo despencam atingindo mínimas de 6 semanas

·2 min de leitura
Bomba de petróleo em Midland, no Texas, EUA.

Por David Gaffen

NOVA YORK (Reuters) - Os preços do petróleo despencaram nesta quarta-feira, levando as principais marcas de referência aos menores níveis de fechamento desde o início de outubro, depois que a Opep e a Agência Internacional de Energia alertaram sobre o iminente excesso de oferta e aumento de casos de Covid-19 na Europa aumentaram os riscos de queda para recuperação da demanda.

Os futuros do petróleo Brent recuaram 2,61%, para 80,28 dólares o barril. Os futuros do petróleo dos EUA (WTI) fecharam em 78,36 dólares, queda de 3%.

As quedas levaram o Brent ao menor fechamento desde 1º de outubro e o petróleo dos EUA ao menor encerramento desde 7 de outubro.

Os traders disseram que a recente ação do mercado sugere que os fundos estão pesando uma maior probabilidade de que a oferta comece a superar a demanda nos próximos meses, com quedas acentuadas em futuros de curto prazo apontando para fundos encerrando posições compradas.

"Isso sinaliza um movimento em direção ao equilíbrio que não víamos há muitos meses", disse Tony Headrick, analista de energia da CHS Hedging.

O mercado global de petróleo tem se concentrado no rápido aumento da demanda contra um lento aumento na oferta da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e seus aliados, junto com a relutância dos grandes players de xisto dos EUA em gastar demais na exploração.

No entanto, tanto a Agência de Energia quanto a Opep disseram na última semana que mais oferta poderia estar chegando nos próximos meses. A Opep e seus aliados, conhecidos como Opep+, mantiveram um acordo para aumentar a produção em 400 mil bpd todos os meses para não sobrecarregar o mercado com oferta.

(Reportagem de adicional de Ahmad Ghaddar em Londres, Sonali Paul em Melbourne e Koustav Samanta em Cingapura)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos