Mercado abrirá em 4 h 3 min
  • BOVESPA

    121.113,93
    +412,93 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,24
    +0,11 (+0,17%)
     
  • OURO

    1.788,40
    +8,20 (+0,46%)
     
  • BTC-USD

    56.846,59
    -776,60 (-1,35%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.291,65
    -100,06 (-7,19%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,67 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.036,60
    +17,07 (+0,24%)
     
  • HANG SENG

    29.106,15
    +136,44 (+0,47%)
     
  • NIKKEI

    29.685,37
    +2,00 (+0,01%)
     
  • NASDAQ

    14.031,00
    +1,50 (+0,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6839
    -0,0022 (-0,03%)
     

Preços do petróleo despencam 7% com piora no cenário do coronavírus na Europa

Scott DiSavino
·2 minuto de leitura
Tanque de petróleo nos EUA

Por Scott DiSavino

NOVA YORK (Reuters) - Os preços do petróleo recuaram pelo quinto dia consecutivo nesta quinta-feira, registrando as maiores quedas diárias desde o último verão (no Hemisfério Norte), diante de temores cada vez maiores com o aumento no número de casos de Covid-19 na Europa e da valorização do dólar.

Diversas economias europeias de grande porte tiveram de impor novos lockdowns em meio à alta nos casos, enquanto os programas locais de vacinação perdem tração devido a temores de efeitos colaterais da vacina da AstraZeneca, que vinha sendo amplamente distribuída na Europa.

O cenário de enfraquecimento não foi limitado ao petróleo, já que os contratos futuros do óleo para aquecimento e da gasolina negociados nos Estados Unidos recuaram mais de 5% cada.

"O mercado havia precificado o melhor cenário possível para a recuperação da demanda. Todo mundo estava celebrando o avanço das vacinas e a redução das restrições", disse John Kilduff, sócio da Again Capital em Nova York.

"Agora, as coisas saíram do trilho quase que completamente na Europa. Os lockdowns na Polônia e Itália atingem o coração de toda essa narrativa de recuperação de demanda e as teses que haviam dado impulso aos preços", acrescentou.

Os futuros do petróleo Brent fecharam em queda de 4,72 dólares, ou 6,9%, a 63,28 dólares por barril, enquanto o petróleo dos EUA (WTI) recuou 4,60 dólares, ou 7,1%, para 60 dólares o barril.

Com isso, ambos os contratos agora apuram queda de mais de 11% desde 8 de março. A sequência de cinco dias de perdas é a maior para o WTI desde fevereiro de 2020, e a mais longa para o Brent desde setembro de 2020. Ela ocorre após especuladores terem estabelecido a maior posição comprada em futuros e opções do petróleo nos EUA desde 2018.