Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.523,47
    -1.617,17 (-1,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.049,05
    +174,14 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,23
    -2,65 (-3,49%)
     
  • OURO

    1.865,90
    -50,40 (-2,63%)
     
  • BTC-USD

    23.293,42
    -251,16 (-1,07%)
     
  • CMC Crypto 200

    535,42
    -1,43 (-0,27%)
     
  • S&P500

    4.136,48
    -43,28 (-1,04%)
     
  • DOW JONES

    33.926,01
    -127,93 (-0,38%)
     
  • FTSE

    7.901,80
    +81,64 (+1,04%)
     
  • HANG SENG

    21.660,47
    -297,89 (-1,36%)
     
  • NIKKEI

    27.509,46
    +107,41 (+0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.616,50
    -230,25 (-1,79%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5385
    +0,0488 (+0,89%)
     

Preços do petróleo caem mais de 5% com temores sobre economia global e Covid na China

Um funcionário demonstra uma amostra de petróleo bruto no campo de Yarakta, propriedade da Irkutsk Oil Company, na região russa de Irkutsk

Por Laila Kearney

NOVA YORK (Reuters) - O petróleo caiu mais de 4 dólares o barril nesta quarta-feira, com o Brent sofrendo sua maior perda percentual nos dois primeiros pregões do ano desde 1991, com as preocupações de demanda ligadas à economia global e o aumento dos casos de Covid-19 na China esmagando os preços da commodity.

Os futuros do Brent fecharam a 77,84 dólares o barril, após caírem 4,26 dólares, ou 5,2%. O petróleo bruto dos EUA fechou a 72,84 dólares o barril, após recuar 4,09 dólares, ou 5,3%.

O Brent caiu cerca de 9,4%, sua maior perda de dois dias no início do ano desde janeiro de 1991, segundo dados da Refinitiv Eikon.

"O petróleo bruto está sendo negociado em baixa devido às preocupações com Covid-19 na China e o Fed forçando uma recessão global... ambos exigem eventos de destruição", disse Bob Yawger, diretor de futuros de energia da Mizuho em Nova York.

Dados da China mostraram que, embora nenhuma nova variante do coronavírus tenha sido encontrada lá, o país sub-representou quantas pessoas morreram em seu recente surto de rápida disseminação, disseram autoridades da Organização Mundial da Saúde.

O estado da economia global e os aumentos das taxas do banco central também pesaram sobre os preços do petróleo.

A manufatura dos EUA contraiu ainda mais em dezembro, caindo pelo segundo mês consecutivo para 48,4, de 49,0 em novembro, na leitura mais fraca desde maio de 2020, informou o Institute for Supply Management (ISM).

Ao mesmo tempo, uma pesquisa do Departamento do Trabalho dos EUA mostrou que as vagas de emprego caíram 54.000, para 10,458 milhões no último dia de novembro, levantando preocupações de que o Federal Reserve usaria o mercado de trabalho apertado como motivo para manter as taxas mais altas por mais tempo.

(Por Laila Kearney em Nova York; reportagem adicional de Ahmad Ghaddar e Muyu Xu)