Mercado fechado

Preços do petróleo caem mais 5% com estoque recorde nos EUA e temores sobre vírus

Por Laila Kearney
·1 minuto de leitura
.
.

Por Laila Kearney

NOVA YORK (Reuters) - Os preços do petróleo recuaram mais de 5% nesta quarta-feira, após os estoques nos Estados Unidos terem atingido um novo recorde e com uma retomada em casos de coronavírus em países como Alemanha e em regiões densamente povoadas dos EUA.

O petróleo Brent fechou em queda 5,44%, a 40,31 dólares por barril. O petróleo dos EUA caiu 5,85%, para 38,01 dólares o barril.

Além da alta nos casos de coronavírus nos EUA, que tiveram a segunda maior elevação no número de novas infecções desde que a crise começou, China, Índia e América Latina também têm gerado preocupações sobre investidores, o que pressiona os preços.

"Todos esses são importantes centros de demanda por petróleo. Uma segunda onda de infecções e quarentenas tiraria a recuperação econômica global dos trilhos e, com isso, impactaria a demanda por petróleo e os preços", disse Stephen Brennock, da corretora PVM.

Os estoques de petróleo nos Estados Unidos cresceram na semana passada em 1,4 milhão de barris, acima das expectativas de analistas de aumento de 299 mil barris, segundo a Administração de Informação de Energia, que citou um aumento na produção.

Foi o terceiro recorde consecutivo nos níveis de estoques nos EUA.

"A coisa que mais me preocupava era uma recuperação na produção doméstica (dos EUA) e ela cresceu --é um fator que pode por si só causar algum dano ao mercado", disse o diretor de futuros de energia da Mizuho, Bob Yawger.