Mercado abrirá em 8 h 24 min
  • BOVESPA

    120.933,78
    -180,15 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.072,62
    -654,36 (-1,34%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,91
    +0,53 (+0,84%)
     
  • OURO

    1.772,60
    +2,00 (+0,11%)
     
  • BTC-USD

    54.848,88
    -2.130,27 (-3,74%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.235,22
    -63,73 (-4,91%)
     
  • S&P500

    4.163,26
    -22,21 (-0,53%)
     
  • DOW JONES

    34.077,63
    -123,04 (-0,36%)
     
  • FTSE

    7.000,08
    -19,45 (-0,28%)
     
  • HANG SENG

    29.105,73
    -0,42 (-0,00%)
     
  • NIKKEI

    29.062,51
    -622,86 (-2,10%)
     
  • NASDAQ

    13.914,25
    +17,00 (+0,12%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6895
    +0,0138 (+0,21%)
     

Preços do petróleo caem mais de 4% com aumento de oferta pela Opep+ e avanço da Covid

Laila Kearney
·1 minuto de leitura

Por Laila Kearney

NOVA YORK (Reuters) - O preço do barril de petróleo recuou 4% nesta segunda-feira, com o aumento da produção por países da Opep+ e a ameaça de uma nova e severa onda da Covid-19 ofuscando sinais de uma forte recuperação econômica nos Estados Unidos.

O petróleo Brent para junho fechou em queda de 2,71 dólares, ou 4,2%, a 62,15 dólares por barril. Já o petróleo dos EUA (WTI) recuou 2,80 dólares, ou 4,6%, para 58,65 dólares o barril.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e seus aliados, conhecidos como Opep+, concordaram na quinta-feira com aumentos graduais de produção entre maio e julho. O Irã --membro da Opep isento de cortes voluntários-- também está ampliando sua oferta da commodity.

"O 'timing' não foi bom", disse Bob Yawger, diretor de futuros de energia do Mizuho. "Parecia que a Opep+ iria prorrogar o acordo, mas eles não o fizeram, e agora parece que terão de pagar por isso, pelo menos no curto prazo", acrescentou.

O petróleo se recuperou de mínimas históricas registradas no ano passado com a ajuda de cortes recordes de oferta promovidos pela Opep+, parte dos quais serão mantidos após julho.

As perspectivas para a economia global, enquanto isso, têm sido afetadas por uma nova onda de casos de coronavírus. As infecções dispararam na Índia, Canadá e outros países. A França reforçou medidas de lockdown para conter a disseminação da doença.

Nos EUA, a criação de vagas de trabalho superou a marca de 900 mil em março, mas o número de casos de Covid-19 também avançou, apesar de o país ser um dos mais rápidos no processo de vacinação.

(Reportagem adicional Alex Lawler e Florence Tan)