Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.580,79
    +234,97 (+0,21%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.304,04
    -72,85 (-0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,42
    +0,65 (+0,59%)
     
  • OURO

    1.866,00
    +0,60 (+0,03%)
     
  • BTC-USD

    29.578,89
    +391,06 (+1,34%)
     
  • CMC Crypto 200

    659,89
    +4,06 (+0,62%)
     
  • S&P500

    3.941,48
    -32,27 (-0,81%)
     
  • DOW JONES

    31.928,62
    +48,38 (+0,15%)
     
  • FTSE

    7.484,35
    -29,09 (-0,39%)
     
  • HANG SENG

    20.112,10
    -357,96 (-1,75%)
     
  • NIKKEI

    26.748,14
    0,00 (0,00%)
     
  • NASDAQ

    11.838,00
    +67,00 (+0,57%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1692
    -0,0030 (-0,06%)
     

Preços de petróleo caem das máximas de 2014, preocupações com oferta limitam perdas

·2 min de leitura

Por Rowena Edwards e Ahmad Ghaddar

LONDRES (Reuters) - O petróleo recua nesta quinta-feira devido a indícios de alta nas ações dos Estados Unidos e à medida que os investidores obtiveram lucros após uma recente alta de preços, mas a forte demanda e as interrupções na oferta de curto prazo continuam a sustentar os preços próximos ao seu maior nível desde 2014.

Os futuros do Brent caíam 0,45 dólar, ou 0,5%, a 87,99 dólares por barril às 09:42 (horário de Brasília), depois de baixarem mais de 1 dólar nas negociações anteriores. A referência global subiu para 89,17 dólares na quarta-feira, a maior desde outubro de 2014.

Os futuros de petróleo bruto dos EUA (WTI) para entrega em fevereiro recuavam 0,46 dólar, ou 0,5%, a 86,50 dólares por barril, depois de perderem quase 1 dólar anteriormente. O contrato, que expira na quinta-feira, subiu para 87,91 dólares na véspera.

O contrato WTI mais ativo, com vencimento para março, caiu 0,34 dólar, ou 0,4%, para 85,46 dólares.

"As vozes daqueles que prevêem 100 dólares por barril de petróleo estão ficando mais altas a cada dia", disse Tamas Varga, da corretora de petróleo PVM.

As preocupações com o abastecimento aumentaram nesta semana depois que um incêndio interrompeu temporariamente os fluxos de um oleoduto que ia de Kirkuk, no Iraque, ao porto turco de Ceyhan, na terça-feira.

Um ataque dos houthis do Iêmen aos Emirados Árabes Unidos, o terceiro maior produtor da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), aumentou os riscos geopolíticos.

O mercado também é apoiado por déficits de oferta do grupo de produtores da Opep+, composto pela Opep e aliados liderados pela Rússia. A Agência Internacional de Energia (AIE) disse na quarta-feira que o grupo produziu cerca de 800 mil barris por dia (bpd) abaixo de suas metas de produção em dezembro.

(Reportagem adicional de Naveen Thukral e Roslan Khasawneh em Cingapura)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos