Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.672,26
    +591,96 (+0,60%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.741,50
    +1.083,60 (+2,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    107,06
    -0,56 (-0,52%)
     
  • OURO

    1.828,10
    -2,20 (-0,12%)
     
  • BTC-USD

    21.375,74
    +160,56 (+0,76%)
     
  • CMC Crypto 200

    462,12
    +8,22 (+1,81%)
     
  • S&P500

    3.911,74
    +116,01 (+3,06%)
     
  • DOW JONES

    31.500,68
    +823,28 (+2,68%)
     
  • FTSE

    7.208,81
    +188,36 (+2,68%)
     
  • HANG SENG

    21.719,06
    +445,16 (+2,09%)
     
  • NIKKEI

    26.491,97
    +320,77 (+1,23%)
     
  • NASDAQ

    12.132,75
    -7,75 (-0,06%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5320
    +0,0203 (+0,37%)
     

Preços do petróleo caem com foco em suspensão da Rússia de acordo da Opep

Por Arathy Somasekhar

HOUSTON (Reuters) - Os preços do petróleo passaram a cair nesta terça-feira após uma reportagem de que alguns produtores estavam explorando a ideia de suspender a participação da Rússia no acordo de produção da Opep+.

Embora não tenha havido pressão formal para a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) bombear mais petróleo para compensar qualquer potencial déficit russo, alguns membros do Golfo começaram a planejar um aumento da produção em algum momento nos próximos meses, informou o Wall Street Journal, citando delegados da Opep.

Os futuros do Brent para agosto, o contrato mais ativo, fecharam em queda de 2 dólares, ou 1,7%, a 115,60 dólares o barril, após avançar para 120,80 dólares no dia anterior. O primeiro contrato, para julho, que expirou nesta terça-feira, fechou em alta de 1,17 dólares, ou 1%, a 122,84 dólares.

O petróleo dos EUA (WTI) fechou em 114,67 dólares o barril, queda de 0,40 dólar, ou 0,4%, do fechamento de sexta-feira. Mais cedo na sessão, a commodity tocou 119,98 dólares, a máxima desde 9 de março.

Não houve fechamento do WTI na segunda-feira devido a um feriado dos Estados Unidos.

"A suspensão da Rússia da Opep pode ser um precursor para a Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos utilizarem sua capacidade de produção sobressalente, porque eles sentiriam que não têm mais um acordo de cota de produção que precisa reconhecer o interesse da Rússia”, disse Andrew Lipow da Lipow Oil Associates em Houston.

Apesar da reversão tardia na direção da sessão, ambos os benchmarks encerraram maio em alta, marcando o sexto mês consecutivo de ganhos. Ambos subiram mais de 70% no período.

(Reportagem adicional de Shadia Nasralla em Londres e Jeslyn Lerh)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos