Mercado abrirá em 7 h 11 min

Preços do petróleo caem com disseminação do coronavírus e Brent recua 10%

Por Bozorgmehr Sharafedin
.

Por Bozorgmehr Sharafedin

LONDRES (Reuters) - Os preços do petróleo caíam nesta segunda-feira, com o Brent recuando mais de 10% após cortes de juros de emergência pelo Federal Reserve (Fed) nos Estados Unidos e por outros bancos centrais terem falhado em acalmar os mercados e depois de a produção industrial chinesa ter apresentado a maior queda em 30 anos devido ao coronavírus.

O petróleo Brent <LCOc1> recuava 3,54 dólar, ou 10,46%, a 30,31 dólares por barril, às 9:12 (horário de Brasília).

O petróleo dos Estados Unidos <CLc1> caía 2,47 dólar, ou 7,78%, a 29,26 dólares por barril.

Para combater os efeitos econômicos negativos da pandemia, o Fed cortou no domingo sua principal taxa de juros para perto de zero. A medida levou o banco central da Nova Zelândia a também reduzir juros para mínima recorde assim que os mercados na Ásia abriram para negociações nesta semana.

O Banco do Japão depois também aliviou mais sua política monetária em uma reunião de emergência, mas as medidas falharam em acalmar os investidores, e os mercados de ações operavam em baixa novamente.

"A resposta em preços é compreensível, dado que as menores taxas de juros e os programas de compras de títulos não farão nada para combater a atual fraqueza da demanda", disse o analista Carsten Fritsch.

Ele acrescentou que quando mais países paralisarem suas vidas públicas, ao fechar fronteiras e cancelar voos, maior será o impacto sobre a demanda por petróleo, especialmente porque isso geralmente reduz a atividade econômica.

Enquanto isso, a produção industrial chinesa caiu bem acima do esperado, com recuo de 13,5% em janeiro e fevereiro quando na comparação com mesmo período de 2018, o pior dado desde janeiro de 1990, quando começaram os registros da Reuters.

"A fraqueza relativa no Brent não deveria ser uma surpresa, dada a severidade das paralisações pela Europa", disse o analista da ING, Warren Patterson.