Mercado fechado
  • BOVESPA

    96.582,16
    +1.213,40 (+1,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    36.801,37
    -592,34 (-1,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    35,98
    -0,19 (-0,53%)
     
  • OURO

    1.866,00
    -2,00 (-0,11%)
     
  • BTC-USD

    13.458,36
    -84,56 (-0,62%)
     
  • CMC Crypto 200

    264,05
    +21,37 (+8,80%)
     
  • S&P500

    3.310,11
    +39,08 (+1,19%)
     
  • DOW JONES

    26.659,11
    +139,16 (+0,52%)
     
  • FTSE

    5.581,75
    -1,05 (-0,02%)
     
  • HANG SENG

    24.586,60
    -122,20 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    23.331,94
    -86,57 (-0,37%)
     
  • NASDAQ

    11.183,75
    -159,00 (-1,40%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7430
    +0,0086 (+0,13%)
     

Preços do petróleo caem com dólar forte e ressurgimento da Covid-19 em Europa e EUA

Por Dmitry Zhdannikov
·1 minuto de leitura
.
.

Por Dmitry Zhdannikov

LONDRES (Reuters) - Os preços do petróleo estavam em queda nesta sexta-feira, pressionados por preocupações de que um aumento nos casos de Covid-19 na Europa e nos Estados Unidos reduza a demanda em duas das maiores regiões consumidoras de combustível no mundo, enquanto o dólar mais forte também afetava os preços.

O petróleo Brent recuava 0,50 dólar, ou 1,2%, a 42,gg dólares por barril, às 9:26 (horário de Brasília). O petróleo dos Estados Unidos caía 0,42 dólar, ou 1%, a 40,55 dólares por barril.

Ambos os benchmarks caíram no dia anterior, mas permaneceram praticamente inalterados em relação à semana passada.

"A realidade é que agora estamos vendo uma disseminação bastante ativa da pandemia em toda a Europa e está se espalhando novamente na América do Norte, e isso potencialmente pesará na recuperação da demanda de petróleo", disse Lachlan Shaw, head de pesquisa de commodities do Banco Nacional da Austrália.

Alguns países europeus estão revivendo toques de recolher e lockdowns para combater o aumento de novos casos de coronavírus, com os britânicos impondo restrições mais severas em Londres a partir desta sexta-feira.

Um comitê técnico da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e produtores de petróleo aliados, um grupo conhecido como Opep+, encerrou sua reunião na quinta-feira expressando preocupações sobre uma perspectiva de demanda fraca.

A Opep+ deve reduzir seus atuais cortes de oferta de 7,7 milhões de barris por dia (bpd) em 2 milhões de bpd em janeiro.

(Reportagem adicional de Yuka Obayashi, em Tóquio, e Florence Tan, em Cingapura)