Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.093,88 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,94 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,17
    +0,26 (+0,36%)
     
  • OURO

    1.802,10
    -3,30 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    33.669,82
    +1.058,92 (+3,25%)
     
  • CMC Crypto 200

    786,33
    -7,40 (-0,93%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,20 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,86 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.091,25
    +162,75 (+1,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1216
    +0,0014 (+0,02%)
     

Preços do petróleo caem bruscamente após Opep cancelar reunião

·1 minuto de leitura
Sol se pondo atrás de bomba de petróleo em plataforma de perfuração, em Loving County, Texas, EUA.

Por Laura Sanicola

(Reuters) - Os preços do petróleo fecharam em queda após uma sessão volátil nesta terça-feira, depois que os produtores da Opep cancelaram a reunião pois não conseguiram chegar a um acordo para aumentar oferta.

O petróleo Brent fechou em queda de 2,63 dólares, ou 3,4%, para 74,53 dólares por barril, após atingir o pico da sessão a 77,84 dólares, a máxima desde outubro de 2018.

Os contratos futuros do petróleo nos EUA (WTI) fecharam em queda de 1,79 dólar, ou 2,4%, a 73,37 dólares, após atingir 76,98 dólares, a máxima desde novembro 2014.

Na segunda-feira, os ministros da Opep+, que inclui a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), Rússia e outros produtores, abandonaram conversas após não conseguirem fechar discórdias nas negociações entre a Arábia Saudita, maior produtor da Opep, e os Emirados Árabes Unidos.

Inicialmente, o petróleo obteve fortes altas nos fins das negociações, porém os preços recuaram, pois os traders se concentraram na possibilidade de alguns produtores abrirem as torneiras e começarem a exportar mais barris.

"O mercado está preocupado que os Emirados Árabes Unidos entrem e adicionem barris unilateralmente e outras pessoas na Opep façam o mesmo", disse Bob Yawger, diretor de futuros de energia da Mizuho.

Algumas fontes da Opep+ disseram que ainda acreditam que o grupo retomará as discussões neste mês e concordará em bombear mais a partir de agosto, embora outros tenham dito que as restrições atuais podem permanecer valendo.

(Reportagem Adicional de Ahmad Ghaddar em Londres e Yuka Obayashi em Tóquio)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos