Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.123,85
    -3.459,16 (-3,05%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.925,52
    -673,01 (-1,30%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,61
    -0,68 (-0,90%)
     
  • OURO

    1.735,20
    -2,30 (-0,13%)
     
  • BTC-USD

    41.587,17
    -702,37 (-1,66%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.025,23
    -31,92 (-3,02%)
     
  • S&P500

    4.352,63
    -90,48 (-2,04%)
     
  • DOW JONES

    34.299,99
    -569,38 (-1,63%)
     
  • FTSE

    7.028,10
    -35,30 (-0,50%)
     
  • HANG SENG

    24.500,39
    +291,61 (+1,20%)
     
  • NIKKEI

    29.607,99
    -575,97 (-1,91%)
     
  • NASDAQ

    14.832,50
    +67,75 (+0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3400
    -0,0026 (-0,04%)
     

Preços do petróleo caem 1% com fechamento de refinarias dos EUA

·1 minuto de leitura

Por Laura Sanicola

NOVA YORK (Reuters) - Os preços do petróleo fecharam em queda de 1% nesta terça-feira, marcando a primeira baixa mensal desde março, com a expectativa da demanda cair após o Furacão Ida fechar refinarias no Golfo dos Estados Unidos.

Os contratos futuros do Brent para outubro, com vencimento na terça-feira, fecharam em queda de 0,42 dólar, ou 0,6%, em 72,99 dólares o barril.

Os futuros do petróleo dos EUA (WTI) fecharam em queda de 0,71 dólar, ou 1%, em 68,50 dólares.

Ambas as marcas de referência tiveram as primeiras perdas mensais desde março, apesar de não estarem longe das máximas de julho. O Brent recuou 4% em agosto enquanto o petróleo dos EUA caiu 7%.

O furacão Ida, que atingiu a costa dos Estados Unidos no domingo como um furacão de categoria 4, eliminou pelo menos 94% da produção de petróleo e gás no mar do Golfo do México e causou danos "catastróficos" à rede de Louisiana.

Os preços foram pressionados por preocupações de que interrupções de energia e enchentes em Louisiana após o furacão Ida reduzirão a demanda de petróleo das refinarias.

Cerca de 1,7 milhões de barris por dia (bpd) de produção marítima de petróleo foram fechados, mas essa produção deve retomar mais rapidamente do que diversas operações de refinarias que perderam energia ao longo do Golfo.

Analistas da FGE disseram em nota nesta terça-feira que esperam que cerca de três quartos da produção marítima sejam retomados até o final da semana.

(Reportagem Adicional de Dmitry Zhdannikov em Londres, Sonali Paul em Melbourne, Koustav Samanta em Cingapura e Alex Lawler em Londres)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos